NOITE

Três perguntas para o funkeiro Naldo

Famoso por hits como Amor de Chocolate e Na Veia, o carioca fala de sua carreira, fãs, vaidade e até sobre seu novo nome

Por: Carolina Giovanelli - Atualizado em

Naldo
Naldo: "sim, eu me considero um metrossexual" (Foto: Washington Possato)

O funkeiro carioca Naldo, famoso por hits como Amor de Chocolate e Na Veia,caiu nas graças dos baladeiros paulistanos e se apresenta principalmente nas festas de playboys e patricinhas. Dos trinta shows mensais de sua agenda, ele calcula que quase a metade deles role por aqui.

Na quinta (13), o artista se exibe na boate Outlaws, na Rua Augusta, junto do rapper americano Fat Joe. Ali, lança mais uma de suas músicas de pegada sensual, batizada de Se Joga.

VEJA SÃO PAULO — Quais são suas referências musicais?

Naldo — Gosto muito do estilo de música e do visual dos rappers americanos, como o 50 Cent. Já me compararam ao Chris Brown, mas não ligo, sou amarradão na onda dele. Tenho até uma tatuagem parecida, uma estrela no braço esquerdo. Meu som mistura funk, hip-hop e pop. Eu mesmo componho as letras, que falam de sensualidade e romantismo. Trato de situações que vejo no dia a dia, sobre o amor entre duas pessoas e o que elas fazem entre quatro paredes.

VEJA SÃO PAULO — Você é vaidoso?

Naldo — Sim, eu me considero um metrossexual. Curto fazer as unhas, passar hidratante e estar com a barba aparada. Tenho coleções que já ultrapassaram 500 bonés e 500 pares de tênis. Além disso, malho todo dia para ganhar resistência para as apresentações, pois faço coreografias enérgicas. Busco movimentos sensuais, em que a mão desliza mais pelo meu corpo. Por isso, as meninas, que representam 80% do meu público, ficam bem atiradas. Mas pretendo me casar no ano que vem com a Ellen Cardoso, a Mulher Moranguinho.

VEJA SÃO PAULO — Quais são seus próximos projetos?

Naldo — Em fevereiro, farei um grande show no Credicard Hall com banda e dançarinos. Vou trocar de figurino três vezes, e uma das roupas é feita de LED. Haverá um elevador no palco e vou até andar de moto. No ano que vem, lançarei também um CD, já com meu novo nome artístico, Naldo Benny, que significa “abençoado” em hebraico.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO