CARREIRA

Dez dicas sobre o que fazer ao perder o emprego

Lúcia Costa, consultora de carreira, dá dicas sobre o processo de transição de carreira para quem foi demitido

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

demissao
(Foto: Reprodução)

O desemprego é um problema que já atinge mais de 9 milhões de brasileiro, de acordo com dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar de o mercado de trabalho estar mais enxuto, as oportunidades para quem perdeu o emprego ainda existem. No entanto, é preciso saber como agir para se recolocar rapidamente e, se possível, em uma posição melhor. Pensando nisso, a diretora de transição de carreira da STATO – consultoria especializada em gestão de carreira –, Lucia Costa, preparou algumas dicas para quem perdeu o emprego:

1) Ao receber a notícia do desligamento, a primeira coisa a fazer é ir para casa e administrar suas emoções. Como todo processo de ruptura, se permita viver o luto, mas logo mude esta lente, pois acredite, esta é uma preciosa oportunidade para refletir, definir os próximos passos da sua carreira e até mesmo se reinventar. Uma postura positiva, proativa e motivada será fundamental nesse processo de transição e inclusive ajudará na sua recolocação.

2) Organize-se financeiramente para esse momento de transição, corte gastos, faça um planejamento financeiro, envolva a família nesse plano. Nesse momento, seu foco tem que ser na atividade de busca, por isso é importante que a parte financeira esteja organizada.

3) Já passado o baque da demissão, revisite sua trajetória profissional, avalie o que foi bom e vale a pena manter e o que não faz mais sentido e quer eliminar. Faça escolhas e planeje sua carreira em longo prazo. Não pense apenas para a próxima recolocação, mas para os próximos ciclos. Identifique oportunidades e pontos que podem ser desenvolvidos para chegar onde deseja e busque esta preparação.

+ Doze atitudes que estão queimando seu filme no trabalho

4) Definido um objetivo sustentado por realizações, resultados e competências, é hora de reformular o currículo. O desenvolvimento de um bom CV é um ponto importante no momento da busca. Por isso, opte por um modelo conciso e bem redigido. Todas as informações devem contemplar no máximo duas páginas com os seguintes tópicos: dados pessoais, objetivo, formação, resumo das qualificações, atividades profissionais, empregos anteriores e cursos de aperfeiçoamento.

5) Nas entrevistas de emprego com os recrutadores ou gestores de áreas, destaque seus diferenciais competitivos, evitando apresentar apenas a descrição dos cargos. Desta maneira, você será mais atrativo para o mercado de trabalho alvo. Sobre seus defeitos: não vá no clichê perfeccionista. Diga realmente seus defeitos e o que você está fazendo para melhorar. Esteja preparado para contar a sua história nas entrevistas e tem preparado um discurso que fale sobre a sua saída.

6) Conecte-se e utilize as redes sociais como ferramenta de busca de oportunidades e networking. Comece com pessoas que lhe conheçam, que já tenham trabalhado contigo e que possam passar alguma referência. Depois estabeleça uma estratégia, principalmente com intermediários que possam se interessar pelo seu CV (Headhunters, agências, RH´s). LinkedIn é a principal ferramenta que possibilita conexões com profissionais de diversas empresas, mas é preciso ter cautela e não tomar muito o tempo e atenção do profissional.

Cinco lições de Jorge Paulo Lemann para uma carreira de sucesso

7) Paralelamente a isso, recorra ao seu networking para ampliar a visibilidade e se conectar a oportunidades e novas possibilidades. Ficar em casa não ajuda. Frequente eventos, feiras, almoços.

8) Flexibilize! Amplie seu espectro de possibilidades. O mercado pode não ter emprego, mas há muito trabalho. Pense em trabalhar em outra cidade, em outras áreas ou em outro setor. Seja criativo, leve soluções e alternativas para o empregador. Considerar trabalhos pontuais como oferecer consultoria e/ou prestação de serviço, pode ser uma boa forma de se manter ativo e continuar conectado à sua área de atuação. Não se preocupe com remuneração, cargo e forma de contratação. Para isso, é importante ter atitude, vendendo exatamente o que é útil para o outro lado da mesa.

O que você precisa saber ao ser demitido

9) Aproveite este período para fazer o que gosta, cuidar da saúde, curtir a família e organizar outras áreas da vida para voltar ao mercado com mais energia, afinal o mercado hoje demanda bons profissionais com atitude.

10)  Por fim, não desista! Seja incansável. Use o chapéu de vendedor que existe em você. Todos nós temos que saber nos vender, sem preconceitos. Não basta ser, tem que parecer (imagem) e aparecer (visibilidade): esse é o princípio do marketing pessoal.

Fonte: VEJA SÃO PAULO