Crianças

Peixonauta: desenho ecologicamente correto é campeão de audiência

Criação bem-bolada de produtora paulistana faz sucesso em canal de televisão por assinatura

Por: Filipe Vilicic - Atualizado em

A garotada anda encantada com um tal de Peixonauta. Trata-se do protagonista de uma série de desenhos homônima que virou sucesso imediato entre os espectadores mirins de televisão por assinatura. Criado por uma produtora paulistana, emplacou a liderança entre o público de 4 a 11 anos em seu horário de exibição – segunda a sexta, às 11h30 e às 19h30 – já na estreia, em 20 de abril. Acompanhado por 90?000 crianças em sua primeira semana, desbancou LazyTown e Backyardigans, atrações internacionais do mesmo canal, o Discovery Kids. "Virou nosso campeão", comemora André Rossi, gerente de programação da Discovery Networks do Brasil. "É raro uma novidade conquistar o público infantil tão depressa."

Foram necessários dezoito meses de trabalho de uma equipe de 160 pessoas antes de o primeiro glub, glub ir ao ar. Eram, em sua maioria, desenhistas, animadores e dubladores, que davam expediente na sede da produtora paulistana TV PinGuim, nos Jardins. Cada um dos 52 episódios consumiu, em média, duas semanas de trabalho da equipe, chefiada pelo arquiteto Kiko Mistrorigo e por sua sócia, Celia Catunda. O peixinho bate suas barbatanas em televisores de mais de cinquenta países, em cinco idiomas – além do português, há versões em inglês, espanhol, turco e árabe. Por ter sido criado aqui, o desenho possui elementos nacionais. A trilha sonora, organizada pelo músico Paulo Tatit, do grupo Palavra Cantada, traz samba, baião e forró. Também aparecem animais como a capivara e a ariranha. Em 2010, o peixinho dourado com roupa de astronauta deve ir aos cinemas com um longa-metragem ambientado em uma grande metrópole inspirada na cidade de São Paulo. "Mostraremos um parque muito parecido com o Ibirapuera", conta Mistrorigo.

Na história, o protagonista Peixonauta veste uma roupa high-tech semelhante à de um astronauta. Em vez de ar, o capacete contém água, o que torna possível suas peripécias em terra firme. Mais precisamente em um parque cheio de animais falantes. Agente de uma organização que recupera e protege o meio ambiente, ele cumpre missões como irrigar um pasto de carneiros, ajudar uma tartaruga em apuros e fertilizar o solo. Em suas aventuras, tem o auxílio de Marina, uma menina de 8 anos, e do macaco Zico. E o que cativou os pequenos? "O convite a explorar o mundo e buscar novas experiências", acredita Celia. Isso e elementos como a POP, uma bola colorida que aparece no início e no fim de cada episódio. Ao cruzarem com ela, os personagens precisam emitir sons com palmas, pulos e batidas de pé – e convidam os espectadores a fazer o mesmo. Assim, saem rodas, torneiras e espelhos de seu interior. Esses objetos serão úteis para que o intrépido Peixonauta cumpra suas missões. E continue fazendo sucesso com a garotada.

Fonte: VEJA SÃO PAULO