Cidade

Ministério Público abre inquérito para investigar "pegadinha" de Haddad

No último domingo (15), prefeito divulgou agenda pública falsa em protesto contra comentarista da Rádio Jovem Pan

Por: Sérgio Quintella

Fernando Haddad
Haddad é investigado pelo MP sobre "pegadinha" a comentarista (Foto: Valter Campanato/ABR)

Nesta quinta (19), o Ministério Público de São Paulo abriu uma investigação para apurar o "trote" que Fernando Haddad, do PT, aplicou no historiador Marco Antonio Villa, comentarista da Rádio Jovem Pan e crítico da gestão municipal. O especialista comenta diariamente no ar a agenda pública do prefeito.

Na segunda-feira (16), em uma pegadinha, o político trocou, por algumas horas, a lista de seus compromissos pela de outro governante. O petista usou o Facebook para explicar a brincadeira. Com o título “Trote num pseudointelectual”, chamou Villa de "projeto de intelectual" e justificou a agenda "em branco" por ser "caluniado todos os dias". Queria ver Villa “comentar, uma vez na vida, o dia-a-dia de quem ele lambe as botas”.

+ Haddad libera Uber com decreto

Porém, para o Ministério Público, o prefeito não poderia ter usado um meio público para atingir qualquer pessoa.

Segundo o promotor Nélson Luís Sampaio de Andrade, da Promotoria do Patrimônio Público e Social, "a conduta, se comprovada, além de incompatível com a dignidade e o decoro do cargo, afronta diretamente os principios da publicidade, da transparência, da impessoalidade, da moralidade e do interesse público, dentre outros, a configurar, inclusive, a prática de ato de improbidade administrativa".

Haddad tem no máximo dez dias para se pronunciar.

+ A nova morada de Fernando Haddad

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO