Paulistano Nota Dez

Conheça o ambientalista que tornou a defesa do verde um tema nacional

Paulo Nogueira-Neto: "Não sou o salvador do planeta, mas me orgulho de contribuir para o bem dele"

Por: Júlia Gouveia

paulo nogueira paulistano dez
“O único desvio que não consegui combater na vida foi o da minha coluna” (Foto: Fernando Moraes)

Quando decidi estudar o meio ambiente, no fim dos anos 1950, dava para reunir dentro de uma Kombi todo mundo que se interessava pelo assunto.” É assim que o paulistano Paulo Nogueira-Neto, de 91 anos, começa a relatar sua trajetória de pioneiro na defesa do verde no país, combinação do entusiasmo de militante com a apurada bagagem técnica, traduzida em ações governamentais de grande impacto.

+ Professor criou ONG para receber refugiados estrangeiros

Em uma época na qual promover a ecologia era sinônimo de “frear o crescimento do Brasil”, ele foi empossado em plena ditadura militar, em 1974, como o primeiro secretário nacional da área, cargo que tempos depois se tornaria o de ministro. Durante doze anos no posto, criou 23 reservas pelo país, que superam 3 milhões de hectares. Em seu mandato, houve a aprovação da Lei da Política Nacional do Meio Ambiente, com punições para poluidores e desmatadores.

“Não sou o salvador do planeta, mas me orgulho de contribuir para o bem dele”, diz Nogueira-Neto, que coleciona feitos fora da vida pública — participou, por exemplo, da fundação da ONG SOS Mata Atlântica, em 1986.O engajamento surgiu de modo inusitado: graças às abelhas. 

Após receber uma colmeia de presente do sogro, ele passou a estudar os insetos com afinco. Com o diploma de direito, voltou aos bancos da USP para cursar, dessa vez, história natural. Nascido em um casarão na Avenida Angélica, ele vem de uma família aristocrática: é descendente de José Bonifácio, o Patriarca da Independência, e bisneto de José Paulino Nogueira, político que empresta o nome à rua de comércio popular.

Cheio de vigor, ainda hoje viaja mensalmente a Brasília para reuniões do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), órgão que ajudou a criar, faz visitas periódicas a suas fazendas e atua como professor sênior da USP, entre outras atividades. No início do mês, comemorou a aprovação do projeto Mosaico da Jureia (que amplia a extensão protegida da região), pelo qual batalhou. “O único desvio que não consegui combater na vida foi o da minha coluna”, brinca.

Nome: Paulo Nogueira-Neto

Profissão: ambientalista

Realidade que transformou: com atuação no governo e fora dele, projetou a defesa do verde como tema nacional relevante

Fonte: VEJA SÃO PAULO