Roteiro

Páscoa: peças em cartaz na cidade

Por: Redação VEJA SÃO PAULO on-line - Atualizado em

Pterodátilos 2210
Marco Nanini, Mariana Lima, Álamo Facó e Felipe Abib: à beira do colapso em 'Pterodátilos' (Foto: Carol Sachs)

São sete espetáculos que acontecem nesta sexta (22) nos palcos da cidade.

+ 20 programas para sexta

  • Resenha por Dirceu Alves Jr.: Livre adaptação de Cíntia Alves e Lucélia Santos para o romance de Marion Zimmer Bradley. Com o objetivo de refletir sobre a paz e a preservação ambiental, as adaptadoras recriaram a lenda do Rei Artur enfatizando a perspectiva feminina. Apaixonada por Lancelot (o ator Henrique Guimarães), Guinevere (interpretada por Renata Guida) se casou com Artur (Caio Paduan) por imposição paterna e nunca conseguiu dar ao marido um filho, o que trouxe consequências políticas ao reino de Camelot. Estreou em 09/04/2011. Até 26/06/2011.
    Saiba mais
  • O drama ganhou projeção graças ao filme de Sidney Lumet, em 1957. A história de uma dúzia de sujeitos encarregados de chegar a um veredicto é montada sob direção de Eduardo Tolentino de Araújo. O réu foi acusado de assassinar o pai, e a decisão precisa ser unânime para executá-lo ou absolvê-lo. O conflito começa quando um dos doze jurados (o ator Norival Rizzo) opta pela dissonância e abala a convicção do grupo, decidido pela condenação. Com Fernando Medeiros, Brian Penido Ross, Ricardo Dantas, Rodolfo Freitas e outros. Estreou em 19/11/2010. Até 27/11/2016.
    Saiba mais
  • Musical

    Evita
    VejaSP
    Sem avaliação
    De Andrew Lloyd Webber e Tim Rice. Mergulhar no universo da ex-primeira-dama argentina Evita Perón (1919-1952) incluía um desafio a mais para o diretor Jorge Takla. A trajetória de Evita — de jovem pobre a atriz pífia a, finalmente, poderosa mulher do presidente Juan Perón — é totalmente narrada em versos, algo incomum nas produções de hoje. Takla arriscou-se a priorizar o conjunto histórico, razão pela qual as ótimas projeções documentais que servem de cenário saltam aos olhos. Como o casal protagonista, Paula Capovilla e Daniel Boaventura apresentam interpretações eficientes e empenhadas tecnicamente. Na pele do guerrilheiro Che Guevara, o ator Fred Silveira faz as vezes de narrador e conquista a empatia da plateia. Estreou em 26/03/2011. Prorrogado até 31/07/2011.
    Saiba mais
  • De Nelson Baskerville, Verônica Gentilin e Cia. Mungunzá de Teatro. Com extrema e admirável coragem, o diretor Nelson Baskerville mexe em sua história para montar o espetáculo, que comove e inquieta o espectador em um surpreendente conjunto. Seu irmão mais velho, Luis Antonio (interpretado pelo ótimo ator Marcos Felipe) era homossexual e viveu em Santos até os 30 anos, quando se mudou para a Espanha. Durante três décadas, quase nada se soube dele, que, em Bilbao, assumiu a identidade de Gabriela, protagonizou shows em boates e acabou vitimado pela aids em 2006. Com Lucas Beda, Sandra Modesto, Verônica Gentilin, Day Porto e Virginia Iglesias. Estreou em 16/03/2011. De 3 a 20/11/2016.
    Saiba mais
  • De Jô Bilac. Premiada com o Shell carioca de melhor texto, a montagem do mesmo autor de Cachorro! e Rebu representa mais uma brisa de renovação vinda do Rio de Janeiro. Em uma intrigante trama sobre a memória está um casal (os atores Andreza Bittencourt e Renato Livera), que muda de apartamento e conhece uma estranha vizinha (Camila Gama). Em um clima de tensão que eletriza a plateia, o diretor Renato Carrera usa os mínimos recursos para extrair o máximo das palavras de Jô Bilac e provoca o espectador com múltiplas possibilidades de leitura. Estreou em 29/03/2011. Até 05/05/2011.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO