Política

Partidos oficializam os candidatos à prefeitura da capital

Nomes que já eram especulados desde o início do ano foram confirmados nas convenções municipais ocorridas neste domingo (24)

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Fernando Haddad
Haddad foi confirmado pelo PT como candidato à reeleição (Foto: Valter Campanato/ABR))

Os nomes mais cotados para disputarem a prefeitura nas próximas eleições, em outubro, foram finalmente confirmados neste domingo (24). O atual prefeito, Fernando Haddad, será candidato à reeleição pelo PT, como já era previsto.

O Partido Republicano Brasileiro (PRB) terá o deputado federal Celso Russomanno como seu representante, enquanto a deputada federal e ex-prefeita Luiza Erundina será a representante do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). O PSDB oficializou a candidatura do empresário João Doria. O prazo para os partidos registrarem suas candidaturas vai até o próximo dia 15 de agosto.

A provável candidata do PMDB, apesar de ainda não ter sido oficializada, é a ex-prefeita Marta Suplicy, que aparece como uma das primeiras opções das intenções de votos, segundo pesquisas recentes do Instituto Datafolha.

Com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na convenção do diretório municipal do PT, em São Paulo, Haddad foi ovacionado pelos presentes e ouviu elogios do ex-presidente, que ressaltou em seu discurso o curto tempo que o candidato à reeleição terá no horário eleitoral da TV.

+ Mostra reúne ideias para serem endereçadas ao próximo prefeito

O candidato a vice-prefeito da chapa será Gabriel Chalita, do PDT, ex-secretário municipal de Educação e candidato à prefeitura nas últimas eleições, em 2012. Em seu discurso, Haddad falou sobre o apoio importante que recebeu de Chalita em 2012, nas eleições do segundo turno.

Ao evento, realizado na quadra do Sindicato dos Bancários, no centro, compareceram o presidente nacional do PT, Rui Falcão, o presidente nacional da CUT, Wagner Freitas, e os presidentes dos partidos PCdoB, PDT, PR e PROS.

Celso Russomanno
Celso Russomanno vai disputar a eleição apesar de processo que enfrenta no STF (Foto: Divulgação)

Na convenção realizada em um salão de eventos na Penha, Zona Leste, Celso Russomanno alegou não temer problemas com sua candidatura por causa do processo que corre no Supremo Tribunal Federal (STF), por acusação de peculato (desvio de dinheiro público). O deputado paulistano se mostrou confiante na corrida pela prefeitura.

+ Prefeitura tira camelôs irregulares da Avenida Paulista

O posto de vice-prefeito na chapa ainda não foi anunciado, mas há forte especulação em torno de Andrea Matarazzo, do Partido Social Democrático (PSD), que teria sido convidado pelo PRB. Matarazzo havia sido cotado para disputar a prefeitura pelo seu antigo partido, PSDB, porém abandonou a disputa contra João Doria após desavenças internas, durante as prévias, ocorridas em março deste ano, decidindo também se desvincular do partido tucano.

João Doria
João Doria forma a chapa do PSDB ao lado do deputado federal Bruno Covas (Foto: Ricardo D'angelo)

O vencedor das prévias do PSDB para a prefeitura, João Doria, recebeu o apoio do governador Geraldo Alckmin e do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, neste domingo, no evento realizado pelo partido para anunciar o seu nome como candidato à prefeitura. Seu vice será o deputado federal Bruno Covas, também membro do partido.

+ Acusado de corrupção, Russomanno lidera intenções de voto em São Paulo

Apesar das presenças ilustres, a ausência de grandes nomes do partido foi notada, como a do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do ministro das Relações Exteriores, José Serra e do senador Aécio Neves.

Luiza Erundina
Erundina disse que não adimistrará a cidade de dentro do gabinete e sim nas ruas, em contato com o povo (Foto: Adailton de Sousa Damasceno/Brazil Photo Press)

Luiza Erundina terá como companheiro de chapa o deputado federal Ivan Valente. Na convenção do PSOL, realizada na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Água e Esgoto e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, na Zona Norte, a deputada discursou sobre uma administração eficaz para a cidade, feita com participação ampla do povo e priorizando o diálogo.

A ex-prefeita de São Paulo ainda afirmou que não fará um adiministração de dentro do seu gabinete e sim nas ruas, em contato com as pessoas e os seus problemas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO