Mistérios da Cidade

Partido Pirata do Brasil luta por transparência dos dados públicos

O movimento, que começou na Suécia e se espalhou por vários países, obteve em dezembro seu registro no país

Por: Mauricio Xavier [Com reportagem de Júlia Gouveia, Nathalia Zaccaro e Silas Colombo] - Atualizado em

Mistérios da Cidade - Ed
Partido Pirata do Brasi (Foto: Divulgação)

O Partido Pirata do Brasil obteve em dezembro seu registro em cartório e prepara-se para coletar as 500 000 assinaturas necessárias à sua criação. O movimento, que começou na Suécia e se espalhou por vários países, luta pelo livre acesso à informação e pela transparência dos dados públicos.

Em São Paulo, a sigla conta com trinta membros e é liderada pelo secretário estadual Rodrigo Rey e pelo coordenador Ricardo Fukui. O mais provável é que concorram a cargos legislativos nas eleições de 2016.

Chefs consagrados vendem seus pratos na rua

+ Conheça a nova Praga das Tartarugas, em Pinheiros

+ Simulador de queda livre é atração em shopping nas férias

Fonte: VEJA SÃO PAULO