Bem estar

Verde: antídoto contra o estresse

Por: Bruna Gomes, Ailin Aleixo e Monique Paoletti - Atualizado em

Fundação Maria Luisa e Oscar Americano
Fachada da Fundação Maria Luisa e Oscar Americano (Foto: Cristiano Mascaro)

O Parque do Ibirapuera costuma ficar absolutamente lotado aos finais de semana- o que não é nada relaxante. Mas há um lugar dentro dele que se mantém inalteradamente zen: o lago de carpas, dentro do Pavilhão Japonês. Sente-se no chão da varanda da casa típica e atire pequenos pedaços de comida para os peixes enquanto observa seus movimentos na água. Abre somente ás quartas, sábados e domingos das 10h /12h e das 13h/17h. Entrada: R$ 3,50

Natureza, arte, cultura e um bom chá. A Fundação Maria Luisa e Oscar Americano conta com um parque tem área de 75 000 m² com aproximadamente 25 000 espécies de árvores. Além de aproveitar o silêncio e o ar fresco da natureza, o visitante pode também apreciar obras de arte que retratam boa parte da história do Brasil. Alguns mestres que podem ser admirados são: Portinari, Brecheret, Lasar Segall e Di Cavalcanti. Para arrematar o dia zen, nada melhor do que um chá servido à moda inglesa (R$ 50,00).

Localizado na Água Funda, o Jardim Botânico de São Paulo tem algumas áreas simplesmente magníficas, como o lindo Lago das Ninféias e o Jardim dos Sentidos (área repleta plantas aromáticas de diversas texturas). E o ‘ barulho’ vem só dos pássaros...

Que tal uma caminhada em meio a natureza? O Núcleo Pedra Grande tem diversas opções de trilha. Na de 5 km o andarilho pode fazer um piquenique ao lado de um lado de carpas. Os sortudos e silenciosos conseguem até ver uns macaquinhos pelo caminho. Núcleo Pedra Grande: Rua do Horto, 1799. Tel.: (11) 2203-3266. Horário de funcionamento: sábados e domingos das 8h às 17h. Ingresso: R$ 5,00 (valor único)

O Orquidário Morumby é um lugar para esquecer que as horas existem. Afinal, você pode ocupar-se de diversas atividades e todas, invariavelmente, relaxantes. Há vários tipos de cursos sobre orquídeas, uma biblioteca fofa e rústica – como todos os ambientes de lá –, um empório com produtos de beleza de diversas linhas aromáticas de orquídeas e, para agradar o paladar, um café charmosérrimo. Tudo isso rodeado por cerca de 3 mil orquídeas florescidas à venda. Se você se encantar com o clima mágico, decorado com cortinas coloridas e muita madeira, pode alugar o espaço para festas e recepções.

Nada de bolas, bicicletas, animais domésticos, motos e patins. O Parque Burle Marx foi feito para um propósito: relaxar. O visitante pode passar horas contemplando os famosos espelhos d’água e os jardins projetados por Burle Marx - paisagista premiado internacionalmente. Há ainda trilhas na mata e uma nascente. Parque Burle Marx: Avenida Dona Helena Pereira de Morais, 200 - Campo Limpo - Morumbi. Tel.: (11) 3746-7631. Horário de Funcionamento: das 7h às 19h - Entrada franca

Criado em 1929, o parque da Água Branca tem ares de propriedade rural: são quase 137 mil metros quadrados de área e 3 mil espécies de árvores adultas. Os lugares mais procurados são o bosque das palmeiras e o espaço das figueiras.

Um cafezal, um pomar de cerejeiras e espécies representantes da Mata Atlântica compõem a paisagem do Parque do Carmo. Uma curiosidade é o fato de integrantes da comunidade japonesa irem, anualmente, ao local para observar a chuva de pétalas do Bosque das Cerejeiras - assim como ocorre no Japão. Para quem quer relaxar é possível caminhar e observar aves e peixes como a tilápia e o barrigudo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO