Cidade

Dez motivos para conhecer o novo parque de esportes radicais

Centro de lazer, com cerca de 38 500 metros quadrados, é o primeiro da capital a ser projetado para praticantes de skate, BMX, parkour, entre outros esportes

Por: Andreza Monteiro - Atualizado em

Pista de skate Centro de Esportes Radicais
A garotada aproveitou o final de semana para curtir o novo point esportivo da capital (Foto: Luiz Guadagnoli/SECOM)

São Paulo acaba de ganhar mais uma área de lazer. O Centro de Esportes Radicais, localizado na Avenida Presidente Castelo Branco, 5 700, próximo a Marginal Tietê, foi oficialmente aberto ao público no último sábado (26).

O local, que possui aproximadamente 38 500 metros quadrados, foi projetado para ser o reduto dos fãs de esportes radicais da capital, com pistas onde é possível praticar atividades como andar de skate, patins, bike, e até praticar o parkour, uma atividade desportiva onde o praticante busca superar obstáculos, por exemplo, escalando muros. Para festejar a chegada dessa novidade, listamos os principais motivos para você não deixar de conhecer o recém-chegado Centro de Esportes Radicais, confira.

+ Haddad sanciona lei que cria Parque Minhocão

1 - A "Mini Ramp", pista de 480 metros quadrados para o uso dos skatistas e também dos praticantes da modalidade vertical de BMX (Bike) e também in-line (patins), é uma das principais atrações do novo parque. A pista foge do padrão por seguir uma estrutura em formato de “U”. O uso de capacete é obrigatório durante a prática do esporte.

IMG_0610
Mini Ramp (Foto: Andreza Monteiro)

2 - As três pistas que compõem a "Pump Track" são ideais para o visitante sacar seus patins, skate ou até mesmo a bike e sair deslizando pelo piso lisinho. A ideia, pioneira no Brasil, era aproveitar o espaço para que tanto pessoas que são iniciantes, quanto aquelas que já dominam o esporte, possam se divertir igualmente. O nível iniciante (100 metros linear) possibilita que qualquer pessoa consiga dar os primeiros passos. Já o intermediário (130 metros linear) é para o pessoal que já consegue se movimentar em cima do aparelho sem tremer na base, e por fim, o avançado (220 metros linear) é para quem tem bastante prática. O uso de capacete também é essencial.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

3 - O Centro de Esportes Radicais também foi projetado para as crianças curtirem um passeio divertido. Um playground cheio de atrações e brinquedos que ousam até no material - alguns são feitos com pneus anti-dengue - proporcionam brincadeiras saudáveis e atraentes para os pequenos de até 12 anos. O local é todo adaptado para o acesso de deficientes físicos.

Área do playground: crianças de até 12 anos
Área do playground: crianças de até 12 anos (Foto: Andreza Monteiro)

+ Confira os piores horários para viajar na Páscoa

4 - O primeiro espaço destinado exclusivamente à prática do parkour na cidade, com 650 metros quadrados, é uma grande conquista dos adeptos dessa modalidade. Os praticantes necessitam de um espaço preparado e equipado para conseguir desenvolver os movimentos, já que técnicas de corrida, salto, equilíbrio e escalada, são os pontos de partida para fazer a atividade.

Área destinada ao Parkour
Área destinada ao Parkour (Foto: Andreza Monteiro)

5 - Um espaço que existia no terreno, antes da construção do parque, abrigava um ginásio utilizado para a prática do sumô. Com a construção do parque, o ginásio foi acoplado e servirá como mais uma opção de esporte e com foco em todas as idades. Para usar o espaço, é necessário procurar a administração e pagar uma taxa (23 reais no período diurno e 45 reais no noturno).

IMG_0613
Ginásio para a prática de Sumô (Foto: Andreza Monteiro)

+ Conheça o passado do Parque da Juventude

6 - Outro “filho adotivo” do parque é o campo de beisebol, que também já existia no terreno antes de nascer o parque. Durante a obra, ele foi ampliado e passou por reparos. Para realizar jogos no local, é necessário fazer um agendamento na administração e também arcar com uma taxa de 80 reais por hora diurna ou 159 reais por hora noturna. Para quem ainda não joga beisebol, no local há aulas para iniciar no esporte, que podem ser feitas gratuitamente. Basta procurar também a equipe administrativa.

IMG_0614
Um dos campos de beisebol (Foto: Andreza Monteiro)

7 - Aos finais de semana, monitores capacitados auxiliam os visitantes na prática das atividades. Alguns equipamentos de segurança também poderão ser emprestados.

8 - Seguindo o que já existe em outras áreas de lazer da cidade, equipamentos de ginástica foram instalados no novo parque, focando principalmente no público da terceira idade.

Academia ao ar livre
Academia ao ar livre (Foto: Andreza Monteiro)

+ Fotos impressionantes mostram parque abandonado da Walt Disney World Resort

9 - Se o visitante quiser apenas relaxar um pouco fazendo uma caminhada ou corrida, poderá usufruir da pista especialmente preparada para a atividade. As pedaladas também serão muito bem-vindas, porém em outra via, exclusiva para elas, uma ciclovia construída dentro do novo parque. Cada um no seu espaço e em total segurança.

IMG_0619
A ciclovia percorre todo o parque (Foto: Andreza Monteiro)

10 - O nome é Centro de Esportes Radicais, porém não quer dizer que não dá para se divertir caso não seja tão radical assim.  Ir para curtir momentos em família também é uma ótima ideia, pois o local possui uma área de convivência onde é possível organizar piqueniques, prosear sem hora para acabar, ou simplesmente curtir um dia bonito e relaxante nessa metrópole que não para.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO