Crianças

Parapapá!, a nova peça dos Parlapatões, agita o Memorial da América Latina

No espetáculo, os números grandiosos de malabarismos ficam em segundo plano

Por: Luiz Fukushiro - Atualizado em

Parapapá!_2162
Hélio Pottes, Henrique Stroeter, Fabeck Capreri e músicos da Banda Paralela: riso garantido (Foto: Divulgação)

A arte do picadeiro e a do palco convencional sempre se fundiram na trajetória do grupo Parlapatões, tanto em montagens adultas como em infantis. Não é diferente na divertida Parapapá! Circo Musical, exibida sob a lona de 700 lugares armada no Memorial da América Latina. Ao contrário de Stapafúrdyo (2006) e Oceano (2008), espetáculos circenses completos, realizados em conjunto com a companhia Pia Fraus, a nova peça abre mão de números grandiosos de malabarismo ou mágica. Aqui, as acrobacias surgem como acessórios à trama e funcionam muito bem.

Na narrativa, um menino (o ator Raul Barretto) deseja ir ao circo que está de passagem por sua cidade, mas não tem dinheiro. Faz amizade então com um palhaço (Henrique Stroeter) apaixonado por uma bailarina (papel de Nayara Nascimento). Ao ajudar seu novo amigo a conquistar a moça, o garoto acaba participando da ação no picadeiro. O riso flui fácil do começo ao fim, seja na exibição ao vivo dos animados músicos da Banda Paralela, nas ingênuas piadas dos palhaços ou quando alguém da plateia é convocado a ajudar em uma cena — caso do hilariante número de arco e flecha. Também estão em cartaz no mesmo espaço É Nóis na Xita, às 11 horas, do trio de palhaços do Grupo Namakaca, e Bichos do Mundo, com a companhia Pia Fraus e a Banda Strombólica, às 17h30.

AVALIAÇÃO ✪✪✪

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO