Transporte

Após 2h30 de paralisação, terminais voltam a funcionar na capital

Mobilização de condutores contra violência começou às 10h e acabou às 12h35

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

paralisacaoonibus2
Ônibus parados no terminal Pinheiros (Foto: Juliana Deodoro/VEJA SÃO PAULO)

Iniciada às 10 horas desta quarta-feira (5), a paralisação dos motoristas de ônibus foi encerrada às 12h35. A mobilização, segundo o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano (Sindmotoristas), ocorre para chamar a atenção ao aumento dos casos de violência nos coletivos. Há duas semanas, um condutor morreu na Zona Norte após o ônibus ter sido incendiado por criminosos.

A paralisação fechou todos os 29 terminais e deveria acontecer até as 12 horas. Os sindicalistas afirmam que marcaram uma reunião com o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto na tarde desta quarta. De acordo com a SPTrans, as empresas de ônibus serão notificadas e podem ser multadas pelo não cumprimento de partidas. As empresas podem recorrer.

Segundo Narcisio Osório, secretário-geral do Sindmotoristas, o protesto acontece apenas nos terminais. "Os ônibus não vao parar na rua. Trabalhamos todos os dias correndo risco de vida. Essa luta não é só dos trabalhadores, mas de toda a população", afirmou ele. Assim que chegam aos terminais, os passageiros descem, e os ônibus não voltam a circular.

Paralisação ônibus
Donatila Reis (à esq.) e Maria Lucia Oliveira: pegas de surpresa com a paralisação (Foto: Juliana Deodoro/VEJA SÃO PAULO)

As diaristas Maria Lucia Oliveira e Donatila Reis, que aguardavam condução no terminal Pinheiros, foram pegas de surpresa pela paralisação. "Não pensam na gente. Nós é que ficamos na rua sem ter o que fazer", afirmou Maria Lúcia. Para conseguir chegar ao trabalho, na Rua Diana, Pompeia, Donatila tomou um táxi, que, segundo ela, será pago pelo patrão. 

+ Confira as últimas notícias

Fonte: VEJA SÃO PAULO