TRANSPORTE

Paralisação de ônibus afeta 1,5 mi na capital

Em campanha salarial, motoristas estacionaram ônibus, bloquearam os terminais e cruzaram os braços das 10h ao meio-dia; sindicato promete novo ato amanhã

Por: Estadão Conteúdo

Greve ônibus
Greve de ônibus afeta passageiros em São Paulo na manhã desta quarta (Foto: Reprodução)

Motoristas e cobradores de ônibus fecharam por duas horas todos os 29 terminais de ônibus na capital paulista na manhã desta quarta (18). O ato pegou diversos passageiros de surpresa e, segundo a Prefeitura, cerca de 1,5 milhão de pessoas foram atingidas pela paralisação. A categoria promete nova manifestação nesta quinta-feira, 19, caso não haja acordo com o sindicato patronal.

+ Estação Júlio Prestes ganha obra de arte de músico da Sala São Paulo

+ Trânsito no horário de pico da tarde cai 16,6%, diz CET

Os trabalhadores reivindicam aumento real de 5% no salário, reajuste do tíquete refeição de R$ 19 para R$ 25 e participação nos lucros de R$ 2 mil - o dobro do valor pago no ano passado. A pauta também inclui convênio odontológico gratuito, seguro de vida e auxílio funerário. Já a proposta das empresas de transportes foi de reajuste salarial de 2,31%, abaixo da inflação, e do tíquete refeição.

O presidente do Sindicato dos Motoristas e Funcionários do Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas), Valdevan Noventa, afirmou que está previsto novo ato nesta quinta-feira, 19, das 14h às 16h. A categoria também fará assembleia na próxima sexta-feira, 20, às 16h, para decidir se entra em greve a partir da próxima semana. "Caso não haja acordo, com certeza a população vai ser a mais prejudicada", disse.

Fonte: VEJA SÃO PAULO