TRANSPORTE

Paralisação de motoristas afeta passageiros em São Paulo

Funcionários de duas empresas de ônibus que operam na cidade decidiram cruzar os braços nesta manhã

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

Ônibus
Coeltivo estacionado em empresa que opera em São Paulo (Foto: Newton Menezes/Futura Press/Folhapress)

Passageiros de ônibus que precisam circular por áreas da Zona Leste e do centro de São Paulo enfrentam dificuldade na manhã desta quinta (17) por causa da paralisação dos motoristas de duas empresas. Desde por volta das 4h, no início da operação, os funcionários da VIP e da Viação Expandir cruzaram os braços e bloquearam a saída dos coletivos. Os funcionários afirmam que não vão trabalhar enquanto a empresa não pagar horas extras devidas.

De acordo com a SPTrans, nas garagens das empresas estão estacionados 478 ônibus, que fazem 37 linhas. Na VIP, a paralisação é na unidade da Cidade AE Carvalho, na Zona Leste, de onde partem 27 linhas, com 387 ônibus; na Viação Expandir, a paralisação atinge a garagem do Brás, na área central, onde ficam 91 ônibus, de 10 linhas. As rotas são realizadas principalmente pela zona leste.

+ Confira as últimas notícias da cidade

A SPTrans já colocou em prática o Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese), com 99 ônibus, para 11 linhas que partem da garagem da VIP. Não foram informados os motivos do protesto.

Durante as primeiras horas da manhã, funcionários da Viação Sambaíba também paralisaram as atividades. A garagem, localizada na região da Vila Albertina, na zona norte, voltou a operar as 53 linhas por volta das 5h30.

Fonte: VEJA SÃO PAULO