GLS

Parada gay ocorre no domingo 4 de maio

Wanessa Camargo e Pedro Lima fazem shows no desfile LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros), que terá ainda uma feira cultural, no feriado de quinta (1º)

Por: Redação VEJASÃOPAULO.COM - Atualizado em

wanessa
Wanessa Camargo: show de encerramento no palco da Avenida Ipiranga  (Foto: Divulgação)

Realizada sempre no feriado de Corpus Christi, a  Parada do Orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) altera as datas neste ano e antecipa seu desfile para  o domingo (4/5), para não coincidir com a Copa do Mundo, entre 12 de junho e 13 de julho. O tema da 18ª edição do evento é a criminalização da homofobia. A concentração tem início às 10 horas, em frente ao prédio da Gazeta, no número 900 da avenida. Os trios elétricos começam a sair às 12 horas e seguem em direção à Rua da Consolação, descendo até a Avenida Ipiranga, no centro. Num palco montado ali, às 19 horas, haverá os shows de encerramento com os cantores Wanessa Camargo e Pedro Lima.

+ Sugestões para  comer, beber e badalar durante o feriado da parada gay

No ano passado, os números de participantes da parada foram controversos. Segundo a PM, 1,5 milhão de ativistas foram à Avenida Paulista. Para o Instituto Datafolha, no entanto, eram 220 mil pessoas. Por causa dessa disparidade, a organização não informa mais a previsão de público. O encontro, um dos mais importantes do calendário paulistano, movimenta bares, clubes e restaurantes da região da Avenida Paulista e do centro e promove eventos paralelos, como a tradicional Feira Cultural LGBT, que ocupa a Praça da República no feriado do Dia do Trabalho, na quinta (1º), e a Caminhada Lésbica, no sábado (3). Para a Feira Cultural são esperadas 200 mil pessoas, que poderão visitar os oitenta estandes de empresas e ONGs que apoiam a causa LGBT. A feira terá ainda apresentações musicais e workshops, como o de "montação" Nasce uma Drag Queen, ministrado por Dindry Buck, às 14 horas. Os participantes do workshop integrarão o time de drag queens que fará uma performance, às 15h30.

+ Saiba como foi a Parada Gay de 2013

Segundo a Associação Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, responsável pela organização da festa, o custo total deve ficar em torno de 3 milhões de reais. A prefeitura, por meio da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania, investirá 2 milhões de reais. Caixa Econômica Federal, Petrobras, Netflix e Governo Federal também são patrocinadores.

Segurança

Para garantir a segurança dos frequentadores _no ano passado, foram registrados flagrantes de tentativa de furto_, neste ano, a prefeitura terá uma sala de situação e gerenciamento de crise, em que agentes das áreas de segurança, saúde, Corpo de Bombeiros e Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) irão monitorar o evento por 23 câmeras. Serão montados dois postos de comando, um no Parque Trianon e outro no recuo do Cemitério da Consolação.

Ao todo, 1 009 agentes da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e 121 viaturas farão a segurança da parada. A Polícia Militar contará com 1 487 oficiais e 494 viaturas. Com relação ao atendimento de saúde, o desfile deste ano terá o apoio de 28 ambulâncias, totalizando 142 leitos, além de cinco postos médicos. Em 2013, 87 pessoas foram removidas para hospitais e 712, atendidas pela estrutura fornecida no evento.

Fonte: VEJA SÃO PAULO