Exposições

Palácio dos Bandeirantes registra as transformações de São Paulo

Mostra reúne cenários de nossa cidade

Por: Jonas Lopes - Atualizado em

paisagens_cidades_2149_palácio_bandeirantes
Palacete Elias Chaves, por Nicola de Corsi (Foto: divulgação)

Em comemoração ao aniversário de 456 anos da cidade, o governo do estado apresenta um novo recorte das obras pertencentes a seu acervo, focado em cenários conhecidos do público paulistano. Paisagens de São Paulo é composta de 47 pinturas realizadas desde o fi m do século XIX até poucos anos atrás. “Essa coleção é um patrimônio público, não pode ficar trancada dentro dos gabinetes. Sua função é receber cada vez mais novas leituras e, dessa forma, ser visitada e admirada com frequência”, defende a curadora do acervo dos palácios, Ana Cristina Carvalho.

São Paulo surge na mostra sob facetas variadas. A montagem privilegia as transformações econômicas, sociais e arquitetônicas sofridas de pouco mais de um século para cá. Enquanto o português Luiz Carlos Peixoto registra um bucólico e extinto centro em 1893, Gregório Gruber retrata a Avenida São João em 2004, além da Praça Ramos de Azevedo, a Avenida Paulista, o Largo de São Bento e o Estádio do Pacaembu. “Fizemos questão de incluir um artista contemporâneo para ressaltar a poesia urbana de locais muitas vezes ignorados pela população”, diz Ana Cristina. Já o russo naturalizado italiano Nicola de Corsi é representado por uma pintura feita no começo do século XX do suntuoso Palacete Elias Chaves, hoje conhecido como Palácio dos Campos Elíseos, sede do governo estadual por cinco décadas e atualmente em restauro.

Marcam presença também os artistas do chamado Grupo Santa Helena, que se reunia em ateliês do Palacete Santa Helena, na Praça da Sé, demolido em 1971 para a construção do metrô — entre eles fi guram Alfredo Volpi (antes das bandeirinhas), Aldo Bonadei, Fúlvio Pennachi e Francisco Rebolo.

Paisagens de São Paulo. Palácio dos Bandeirantes. Avenida Morumbi, 4500, portão 2, Morumbi, ☎ 2193-8282. Terça a domingo, 10h às 17h. Grátis. Até 28 de fevereiro. A partir de terça (26).

Fonte: VEJA SÃO PAULO