Cidade

Pacientes do Complexo Prates entram em greve após demissão de funcionários

Uma psicóloga e uma assistente social foram dispensadas. Local atende cerca de 440 usuários de drogas por mês

Por: Redação VEJASÃOPAULO.COM - Atualizado em

Pacientes atendidos pelo Complexo Prates, centro de acolhimento e tratamento de usuários de drogas no Bom Retiro, centro de São Paulo, resolveram boicotar os serviços oferecidos depois que duas funcionárias que trabalhavam no local foram demitidas.

+ Promotoria vai pedir que chefe do PCC fique em regime de isolamento

O centro é administrado pela Congregação das Irmãs Hospitaleiras, que tem convênio com a Secretaria Municipal de Saúde e atende cerca de 440 pessoas por mês. Um psicóloga e uma assistente social foram demitidas no começo de junho. Na tarde desta terça-feira (15), cerca de cinquenta pacientes fizeram um protesto em frente à unidade. Como não receberam nenhuma resposta da administração, iniciaram o boicote.

+ Alemães que furtaram estátua em Cumbica serão processados no Brasil

De acordo com a prefeitura, as relações trabalhistas entre a congregação e os funcionários não são de responsabilidade da administração, mas o caso está sendo acompanhado "para evitar desassistência aos usuários", informou por meio de nota. Ainda segundo a gestão, a secretária de Assistência Social, Luciana Temer, encontrou-se com os usuários para tomar conhecimento de suas reivindicações.

+ Confira o melhor da cidade agora

Fonte: VEJA SÃO PAULO