Crianças

'Ycatu – Água Boa' conquista o espectador através da delicadeza

Elenco versátil e a trilha sonora tocada ao vivo são dois destaques da montagem

Por: Tatiane Rosset - Atualizado em

Ycatu - Água Boa
O ator Rogério Modesto: espetáculo sobre ecologia tem música ao vivo (Foto: Pipo Gialluisi)

Falar sobre ecologia para crianças é um desafio e tanto. Normalmente, as montagens que se aventuram no tema acabam usando muitos clichês que resultam em textos chatinhos e sonolentos. Escrita e dirigida por Amauri Falseti, a nova produção da Cia. Paideia de Teatro lança mão dos mesmos elementos, mas com uma pitada de ironia.

A trama de Ycatu – Água Boa começa com o ensaio geral aberto da nova peça de um grupo de teatro que aborda, justamente, a economia de água. Sem criatividade alguma, o espetáculo desagrada e não prende a atenção da meninada na plateia.

Para salvar a boa intenção da companhia, surgem Cobra Norato (Valdênio José) e Iara (Camila Amorin), dois personagens ligados aos rios e mares do país. Com a ajuda deles, a peça ganha ares lúdicos e consegue conquistar o espectador através da delicadeza. O elenco, completado por Aglaia Pusch, Ana Luiza Junqueira, Flávio Porto e Rogério Modesto, mostra-se versátil ao transitar entre as duas histórias.

Graciosa, a trilha sonora é tocada ao vivo por Marcos Iki, Philip Francisco e Tobias Halm.

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO