Cinema

Comédia "Os Outros Caras" é uma divertida sátira aos filmes policiais

Will Ferrell e Mark Wahlberg fazem uma dupla 'gato e rato' no filme

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

Os Outros Caras 2193
Will Ferrell e Mark Wahlberg: parceiros a contragosto em uma delegacia de Nova York (Foto: Divulgação)

Chega ao quarto longa-metragem a parceria entre o comediante Will Ferrell e o diretor Adam McKay, após “O Âncora—A Lenda de Ron Burgundy” (2004), "Ricky Bobby — A Toda Velocidade" (2006) e "Quase Irmãos" (2008). A especialidade de Ferrell e McKay é o deboche direto e não lá muito refinado. Desta vez, estão na mira da dupla os filmes policiais. Divertido, o roteiro de "Os Outros Caras" brinca com clichês em uma sátira muitas vezes esperta e repentinamente vulgar. Os palavrões e as obscenidades disparados pelos protagonistas não comprometem o resultado e a comédia arrasa quarteirões de Manhattan em nome do bom humor. Também funcionam a contento as referências — das coreografadas cenas de ação que remetem a “O Procurado” ao papel de baixinho enfezado de Mark Wahlberg, uma alusão ao seu personagem em “Os Infiltrados”.

Trata-se aqui da volta por cima pretendida por dois detetives de Nova York. Encostados num cargo burocrático, Allen Gamble (Ferrell) e Terry Hoitz (Wahlberg, em atuação melhor do que a encomenda) são diariamente humilhados por seus colegas, sobretudo pelos durões Danson e Highsmith, papéis entregues a Dwayne Johnson e Samuel L. Jackson, que fazem breves e hilárias aparições. Enquanto Gamble quer continuar na delegacia, Hoitz faz de tudo para emplacar um trabalho nas ruas. Esse tira cava, então, a oportunidade de investigar um executivo inglês (Steve Coogan) envolvido em fraude milionária. A partir daí, a dupla se comporta como gato e rato para solucionar o caso. Os nervos ficam mais acirrados quando Hoitz conhece a tentadora mulher de Gamble, interpretada pela curvilínea Eva Mendes.

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO