Roteiro

Os melhores programas do fim de semana

As atrações imperdíveis de sábado (23) e domingo (24) mais os shows especiais de segunda (25) para o aniversário da cidade de São Paulo

Por: Veja São Paulo

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Confira os dez melhores programas para curtir neste fim de semana na cidade:

  • A relação da baiana Daniela Mercury com São Paulo é íntima. Foi ela a responsável por apresentar o axé aos paulistanos nos anos 90, quando reuniu mais de 20 000 pessoas no vão livre do Masp para entoar os sucessos de O Canto da Cidade, seu segundo disco. De lá para cá, a intérprete se tornou a rainha do estilo musical. Ela volta a trazer um pouco do seu batuque para as ruas ao subir em um trio elétrico neste domingo (24). Espere os hits feitos para pular, como Rapunzel, Pérola Negra e a novidade inspirada na capital, Antropofágicos São Paulistanos, mistura de percussão com rock. O dia seguinte tem Gilberto Gil (sempre com shows de lotação esgotada por aqui) no Parque do Tietê. Eis uma boa oportunidade de curtir suas canções em um espaço aberto e gratuitamente. O grupo Demônios da Garoa abre para o cantor. Confira a programação: Sábado, 23 de janeiro Maria Gadú: Casa de Cultura Grajaú - Palhaço Carequinha, às 20h Luciana Mello e Jair Oliveira - Teatro Arthur Azevedo, às 21h Fabiana Cozza - Centro Cultural Jabaquara, às 20h Carlos Lyra - Galeria Olido, 20h Jerry Adriani - Teatro Alfredo Mesquita, 21h Karina Buhr - Teatro Cacilda Becker, 21h Criolo - Palco Parelheiros, 18h Edi Rock - Palco do Glicério, 20h KL Jay - CEU Perus, 18h Rappin' Hood - Palco Vila Maria/Vila Guilherme, 20h Negra Li - Centro Cultural da Penha, 20h Ratos de Porão - CEU Aricanduva, 18h Raimundos - CEU Alvarenga, 18h O Terno - Teatro Paulo Eiró, 21h Supla - CEU Meninos, 18h Domingo, 24 de janeiro Daniela Mercury com trio elétrico - Avenida Faria Lima, 15h30 Segunda, 25 de janeiro Demônios da Garoa - Parque Tietê, 16h Gilberto Gil - Parque Tietê, 18h
    Saiba mais
  • De tempos em tempos, um espetáculo perdura na memória do público como uma experiência vivida. O ano de 2015, na sua exata metade, já desponta com um forte candidato a esse time cada vez mais seleto. Sob a direção de Rafael Gomes, Maria Luisa Mendonça protagoniza o drama de Tennessee Williams (1911-1983) na pele de Blanche Dubois. Enigmática, falida e em estado de permanente delírio, ela é uma professora obrigada a morar de favor na casa da irmã, Stella (a atriz Virginia Buckowski). Por lá, uma batalha repleta de tensão sexual é travada pelo cunhado, Stanley Kowalsky (interpretado por Juliano Cazarré, em substituição a Eduardo Moscovis), que decide investigar o passado renegado por ela. O que se vê no Tucarena é uma leitura arrebatadora e atemporal de uma história escrita em 1947. Seja na trilha sonora, com referências de George Gershwin, Beirut e Amy Winehouse, ou no cenário de André Cortez, que coloca um chiqueiro de madeira, como simbologia do cortiço onde vivem os personagens, circundado por um trilho, a montagem transmite contemporaneidade. Na mesma sintonia, Moscovis foge do estereótipo do brutamonte e constrói um antigalã amargurado pela vida, enquanto Virginia imprime segurança na doçura de Stella e Donizeti Mazonas, como o amigo de Kowalsky, é econômico na medida certa. A base para o sucesso, no entanto, se apoia na visceral representação de Maria Luisa. Em um transe permanente, a atriz descarta ficar limitada ao recorrente glamour e humaniza Blanche, valorizando a cada cena sua solidão e a óbvia sensação do fracasso. Fabrício Licursi, Fernanda Castello Branco e Matheus Martins completam o elenco. Estreou em 5/6/2015. Até 26/6/2016. + Leia entrevista com o diretor Rafael Gomes.
    Saiba mais
  • É no Carnaval que Preta Gil mostra seu poder de movimentar multidões. Longe de ser unanimidade fora dos palcos, a carioca se transforma com o microfone na mão e esbanja carisma e vigor. Oito anos atrás, ela começou a pôr seu bloco nas ruas do Rio de Janeiro. Ele virou um sucesso. Em 2015, 350 000 pessoas dançaram atrás do seu trio elétrico. Na semana anterior à saída, marcada para o dia 31 no Rio, Preta organiza seu ensaio aberto por aqui — boa notícia para o público que não vai pegar a ponte aérea para a folia. Os fãs paulistanos poderão curtir no Audio Club a apresentação da cantora, acompanhada por uma banda com dezenove músicos. Eles fazem a turma sacudir ao som de seus maiores hits, como Sinais de Fogo, Que Isso Neguinho e Meu Corpo Quer Você. Ainda há versões animadas de faixas da MPB, como País Tropical, de Jorge Ben Jor, e Vou Festejar, de Beth Carvalho. Dia 22/1/2016.
    Saiba mais
  • Todos vão querer voltar a ser criança nesta nova atração sobre o universo de Star Wars. A primeira parada é em um espaço que simula uma chuva de meteoros, onde os meninos e meninas precisam desviar das grandes pedras para passar até a outra fase. Mas fique calmo: os aerolitos são beeem levinhos e não apresentam risco algum. No próximo trecho, a ideia é escalar por dentro de uma árvore que faz parte da Vila Ewok. Lá, estão quatro pedras que devem ser movidas com a força da mente. O instrutor incentiva as crianças a se concentrar para realizar a tarefa — e elas conseguem! Spoiler: há uma ajudinha mecânica que faz tudo parecer mágica. Depois de tanto esforço, a descida até o térreo só poderia ser feita por um divertido escorregador. Ao fim de toda a jornada, vem a melhor parte: a Escola Jedi. Para participar dessa atração, é preciso retirar uma senha. Como as vagas acabam muito rápido, é bom chegar cedo. O expediente da escola começa às 14h30 e termina às 21h, com sessões a cada trinta minutos. Recomendado a partir de 4 anos. De 15/01 a 11/02/2016.
    Saiba mais
  • Árabes

    Manish - Pinheiros

    Rua Ferreira de Araújo, 326, Pinheiros

    Tel: (11) 3034 2326

    VejaSP
    Sem avaliação

    Árabe de boa qualidade, o Saj voltou a comandar a dupla de casas — a bonita matriz no Itaim Bibi e a pequena filial em Pinheiros. A troca de comando, no entanto, parece ter desestabilizado um pouco a cozinha que vez ou outra expede um filé de pintado passado do ponto ao molho taratour (R$ 58,10). Mesmo assim, ainda há pedidas saborosas como o trigo grosso enformado com frango e carne moída e uma deliciosa cobertura de coalhada (R$ 32,80). Se quiser provar diversos itens do cardápio de uma vez só, vá de menu degustação (R$ 160,00), suficiente para duas pessoas.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Docerias

    B.Lem Portuguese Bakery - Pinheiros

    Rua Doutor Virgílio de Carvalho Pinto, 187, Pinheiros

    Tel: (11) 3969 1707

    VejaSP
    Sem avaliação

    Além do pastel de nata (R$ 6,90), reluzem na vitrine das três unidades — a mais recente delas em Pinheiros — guloseimas como o pastel de torres, uma massa folhada recheada de purê de amêndoa; R$ 7,90. Também fazem bonito os salgados (empada de frango caipira; R$ 8,90), assim como os pães. Estes podem compor combos de café da manhã como o mouraria (R$ 19,90), que reúne pão de água, manteiga, geleia, madalena e café ou chá.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Museus

    Museu do Futebol

    Praça Charles Miller, s/n, Pacaembu

    Tel: (11) 3664 3848

    7 avaliações

    Impossível não se contagiar de cara com a atmosfera boleira deste museu cravado debaixo das arquibancadas do Estádio do Pacaembu. Todas as atrações são multimídia e interativas. Projetores exibem fotografias gigantes de ídolos como Pelé, Garrincha, Zico e Ronaldo. Numa sala, fotos antigas contextualizam os primórdios do esporte no Brasil. Há muito material em vídeo, mostrando dribles, gols e jogadas marcantes. Quem quiser se aventurar (sobretudo as crianças), pode brincar de cobrar um pênalti e medir a velocidade do chute numa atração ou jogar com uma bola virtual em outra. Duas experiências arrepiam os visitantes: imagens de torcedores incentivando aos berros seus times, projetadas em telões debaixo das arquibancadas, e o acesso para ver (e fotografar, é claro) o gramado verdinho do Pacaembu. Em outra sala, telas em alta definição apresentam a história das copas e a participação da Seleção em cada uma delas. Difícil é sair de lá sem querer gritar “Brasil, Brasil, Brasil”.

    Saiba mais
  • Esteticamente, o cinema do belga Jaco van Dormael se assemelha ao do francês Jean-Pierre Jeunet (Amélie Poulain). O Novíssimo Testamento, que estava na corrida ao Oscar 2016 para melhor filme estrangeiro, confirma o talento de Van Dormael de narrar histórias excêntricas em visual por vezes deslumbrante. Vale o aviso: o diretor de O Oitavo Dia (1996), embora esteja no terreno da comédia, pega pesado com a imagem de Deus. O todo-poderoso (interpretado por Benoît Poelvoorde) mora na Bélgica, fuma, enche a cara, passa o tempo de roupão e brincando (no mau sentido) com o destino das pessoas em seu computador. A mulher dele (Yolande Moreau) pouco abre a boca, o filho JC (ou Jesus Cristo) virou uma estátua e a filha de 10 anos, Ea (Pili Groyne), sempre espezinhada pelo pai, não se conforma com sua última maldade: Deus mandou uma mensagem pelo celular para todos os habitantes da Terra informando... a data da morte deles (!). A menina, então, foge de casa, para arranjar seis apóstolos e, assim, reescrever a Bíblia. Um ponto de partida bastante original se encaminha para situações ainda mais polêmicas. Entre as pessoas reunidas por Ea estão um matador de aluguel, um tarado e uma esposa (Catherine Deneuve) que trai o marido na companhia de... um gorila (!). Com seu humor nonsense, o provocador Van Dormael, declarado ateu, faz rir com elegância e, tomara Deus, sem ofender a fé da plateia. Estreou em 21/1/2016.
    Saiba mais
  • Mostras de Debret e Paulo Bruscky estão em cartaz até o dia 25
    Saiba mais
  • Italianos

    Pina

    Rua Jacurici, 27, Itaim Bibi

    Tel: (11) 3071 2501

    VejaSP
    5 avaliações

    Um panorama de receitas do centro e do norte da Itália somadas às próprias criações é a proposta do chef italiano Riccardo Rossi. Pedida para dias de calor intenso, o gaspacho de tomate e pepino é servido em um copo de coquetel com um camarão‑rosa empanado (R$ 54,00). O nhoque de batata com cogumelo porcini seco recebe creme de parmesão e molho de ervas frescas (R$ 58,00). De produção própria, o sorvete de iogurte vem com duas caldas, uma de morango e a outra de limão‑siciliano (R$ 22,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO