Passeios

Os melhores programas do fim de semana

As boas pedidas para curtir entre sexta (6) e domingo (8)

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Você já pensou em comprar uma obra de arte? Para entrar nesse mundo, a dica é conferir a Feira PARTE, que ocorre até domingo (8).

Karina Zen
"Sobrevida", de Karina Zen: no estande da galeria Myrine Vlavianos, na PARTE (Foto: karina Zen)

Para curtir a temperatura mais amena, programe uma visita ao novo Ecully Wine Bar.

Ecully Wine Bar
Vinhos como o Monte da Raposinha Tinto 2011: R$ 34,00 a taça (Foto: Mario Rodrigues/VEJA SÃO PAULO)

Em clima nostálgico, relembre os trinta anos de lançamento do disco de estreia do Legião Urbana com o show de Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos com o ator e cantor André Frateschi nos vocais.

André Frateschi Legião
Frateschi: show no Espaço das Américas no sábado (7) (Foto: Fernando Moraes)

 

 

  • Suspense / Drama

    A Floresta que se Move
    VejaSP
    Sem avaliação
    O risco era muito grande. Depois de se meter no vespeiro de Guimarães Rosa com uma refilmagem de A Hora e a Vez de Augusto Matraga, lançada no fim de setembro, o diretor Vinícius Coimbra teve uma ousadia ainda maior: transformar a peça Macbeth, de Shakespeare, em uma história contemporânea. Com raros resquícios teatrais, o realizador conseguiu um bom resultado, apoiado em elenco afiado, belas locações no Uruguai e um roteiro cheio de tensão e suspense. A tragédia ainda marca presença, mas o drama policial se embrenha na trama. Nela, um executivo (Gabriel Braga Nunes) escuta de uma vidente que, em breve, ele será vice-presidente do banco para o qual trabalha. Ao saber do episódio, a esposa dele (papel de Ana Paula Arósio) fará de tudo para manipular e convencer o marido a concretizar a profecia. Traições, assassinatos, cobiça pelo poder e vingança sobrenatural mesclam-se num enredo conduzido com classe e elegância. Estreou em 5/11/2015.
    Saiba mais
  • Volta e meia o dramaturgo, cineasta e diretor de teatro Domingos Oliveira, de 79 anos, é definido como “o Woody Allen brasileiro”. Quem recorre a tal comparação justifica pela habilidade do artista carioca ao retratar as relações humanas com fina ironia e bom humor. Em cartaz no Sesc Pinheiros, a comédia não foge dessa linha, mas encontra semelhanças maiores nas amalucadas histórias de suspense filmadas pelo americano que nas tramas intimistas. Júlio Matos (personagem de Ricardo Kosovski) e Júlia Vieira (papel de Priscilla Rozenbaum) formam um célebre casal de atores, muito famoso na televisão e no palco. A vida em comum se sustenta pelas aparências, em nome da parceria profissional, e o marido se mostra cada vez mais atormentado. Nas conversas com o psicanalista (o ator André Mattos), ele confessa, inclusive, que tem sido perseguido por um homem que seria uma cópia sua. Com base nesse gancho, Oliveira constrói uma história divertidíssima e capaz de surpreender o espectador até os minutos finais. A encenação despojada é valorizada pela iluminação e apoia-se nos diálogos certeiros. Diante disso, o trio de atores se mostra muito à vontade, e Priscilla esbanja sarcasmo na composição da estrela afetada. Estreou em 22/10/2015. Até 14/11/2015.
    Saiba mais
  • Vinhos

    Ecully Wine Bar

    Rua Diogo Jácome, 361, Vila Nova Conceição

    Tel: (11) 3842 0737

    VejaSP
    2 avaliações

    O ambiente à meia-luz é cheio de cantinhos para que casais apaixonados dividam uma garrafa de vinho — 1 200 rótulos estão disponíveis na loja da Grand Cru, no térreo do bar. Para facilitar a escolha, 300 garrafas foram selecionadas na carta. É o caso do português Monte da Raposinha Tinto 2011 (R$ 123,00). Outra atração tinta, o Cobos Felino Malbec 2013 (R$ 108,00) vem de Mendoza, na Argentina. Boa parte do menu é copiada da casa- mãe, o restaurante Ecully, em Perdizes. Exclusivo do wine bar, o queijo brie empanado na companhia de manga assada e calda da fruta com cachaça e pimenta-rosa sai a R$ 35,00.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Depois da morte de Renato Russo, em 1996, o baterista Marcelo Bonfá e o guitarrista Dado Villa-Lobos ficaram proibidos de usar o nome do grupo. Durante esse período, isso ocorreu apenas duas vezes em território nacional, a última em 2012, em um evento para a MTV, com o ator Wagner Moura nos vocais. Agora, depois de vencer uma batalha judicial com o filho de Renato, a dupla retorna para a turnê em comemoração aos trinta anos do lançamento do primeiro disco da banda, Legião Urbana. Com o ator e cantor André Frateschi ao microfone, Dado e Bonfá ainda têm a companhia de Lucas Vasconcellos (segunda guitarra), Mauro Berman (baixo) e Roberto Pollo (teclado). O repertório compensa o ingresso para os saudosistas: além das faixas do primeiro trabalho, como os clássicos Será, Ainda É Cedo, Teorema, Por Enquanto e Geração Coca-Cola, também foram escolhidas composições como Faroeste Caboclo e Pais e Filhos para integrar a programação. Plebe Rude abre para a banda. Dia 25/06/2016.
    Saiba mais
  • O Maglore é formado por Teago Oliveira, Rodrigo Damati e Felipe Dieder. Na noite de sexta (9/9/2016) a banda lança no Z Carniceria o clipe de "Serena Noche".
    Saiba mais
  • Tragédia

    Filoctetes
    VejaSP
    Sem avaliação
    A Cia. Razões Inversas, capitaneada pelo diretor Marcio Aurelio, celebra duas décadas e meia reafirmando a essência de uma proposta radical: o investimento em um teatro que fecha o foco no texto e deposita boa parte da responsabilidade da comunicação nas mãos dos atores. A opção, algumas vezes, pode limitar o alcance das montagens, mas quando atinge a plenitude, como foi o caso mais recente de Agreste e Anatomia Frozen, elas se revelam obras-primas atemporais. Novidade da mostra que ocupa a Funarte desde julho em nome dos 25 anos do grupo, Filoctetes está na linha dos espetáculos menos acessíveis. Escrita por Sófocles e revisitada por Heiner Müller na década de 60, a tragédia é centrada em um herói entre os menos conhecidos dos clássicos gregos. Durante a Guerra de Troia, o perso­nagem-título (interpretado por Paulo Marcello) é abandonado pelos companheiros por mais de dez anos em uma ilha, e a solidão o revolta. Humilhado, o excelente arqueiro, no entanto, trava uma batalha interna para não perder totalmente a sensibilidade. O novo embate com o estrategista Odisseu (papel de Marcelo Lazzaratto, grande destaque do trio) e o idealista Neoptólemo (representado por Washington Luiz) traz à tona a necessidade de se fazer pragmático - e, no jogo político, nem sempre os princípios resultam em sobrevivência. A verborragia poderá até incomodar quem estiver disposto a um programa mais leve, mas, se o espectador dedicar plena atenção ao longo discurso, a desafiadora encenação se mostrará uma experiência instigante e conectada aos dias atuais (70min). Estreou em 25/9/2015. Até 20/12/2015.
    Saiba mais
  • A conhecida história dos irmãos que se perdem em uma foresta depois de deixar uma trilha de migalhas de pão ganha um novo ritmo nesta montagem. Ambientado no sertão nordestino, Uma Jornada de João e Maria reconstrói o conto com uma pitada de crítica social e a tentativa de conscientizar os pequenos sobre assuntos como a seca e a fome. No enredo João (Francisco Wagner) e Maria (Heidi Monezzi) são deixados longe de casa pelos pais (Danilo Minharro e Priscila Schimit), que querem dar um futuro melhor a eles. A trama se desenrola em diversas aventuras na cidade grande, onde a famosa bruxa má vira a pomposa dona de uma loja de doces. O elenco fca em contato constante com o público, inclusive andando entre as poltronas. As reviravoltas na história não ajudam no desenvolvimento do roteiro, é verdade. Também desviam a atenção as muitas trocas de roupa dos engraçados personagens coadjuvantes, que se revezam sem nunca sair do palco. Mesmo com um tropeço aqui ou ali, a adaptação comandada pelos diretores Bruno Cordeiro e João Alves acha o caminho de volta para a originalidade e transforma a peça em uma ex periên cia divertida. (60 min). Rec. a partir de 3 anos. Estreou em 19/09/15.
    Saiba mais
  • Depois de reunir 11 000 pessoas no ano passado, a Feira Parte chega à sexta edição de casa nova: deixa o subsolo do paço das Artes na Cidade Universitária, agora desativado, para ocupar o Clube A Hebraica, à beira da Marginal pinheiros. o evento reúne 41 galerias, muitas de fora do circuito paulistano, entre quarta (2/11) e domingo (6/11). pontos positivos: o grande número de jovens artistas aumenta a chance de fazer bons negócios e o preço das obras fica visível para qualquer visitante, não é preciso nem perguntar. De 2 a 6/11/2016.
    Saiba mais
  • Picasso, Degas, Matisse, Gauguin, Modigliani, Monet. Todos esses nomes conhecidíssimos dos livros estão mais perto do que muitos imaginam, em plena Avenida Paulista, na nova exposição do Masp. Arte da França: de Delacroix a Cézanne tem curadoria do diretor artístico da instituição, Adriano Pedrosa, que acertou no recorte e reuniu conjuntos completos do acervo, algo raro de acontecer. A montagem se concentra em exemplares de pintores franceses ou que viveram em Paris entre os séculos XVIII e XX e registraram o cenário político, cultural ou social em cada época. Trabalhos anteriores e posteriores a esse período, além de documentos e fotografias, completam a mostra. São oitenta itens, entre naturezas-mortas, retratos e paisagens capazes de arrancar suspiros do público. Um dos pontos em que os visitantes mais se concentram são as paredes dedicadas a Renoir. Está lá o célebre Rosa e Azul (As Meninas Cahen d’Anvers) ao lado de onze outras peças do pintor. Junto da obra, há um recorte do jornal suíço Confédéré, de outubro de 1988, que traz a história de uma das garotinhas retratadas no óleo. Vale também contemplar os detalhes de O Grande Pinheiro, de Cézanne, representado ali com mais quatro telas, a exemplo de Madame Cézanne em Vermelho. Outra dica é apreciar sem pressa as preciosidades de Van Gogh, caso de O Escolar e Passeio ao Crepúsculo. Até 25/10/2015.
    Saiba mais
  • Agora um quarteto, o grupo faz suas últimas apresentações do DVD Muito Mais que o Amor — Ao Vivo. Dias 15 e 16/10/2016.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO