Futebol

Os heróis do Corinthians

Quase dois anos depois de ser rebaixado para a Segundona, o time volta ao topo com três títulos nas últimas cinco competições que disputou

Por: Filipe Vilicic - Atualizado em

Há quase dois anos, o Corinthians viveu em Porto Alegre o dia mais tenebroso de sua gloriosa história. Diante do Grêmio, foi rebaixado à segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Na última quarta (1º), também na capital gaúcha, o clube alvinegro provou mais uma vez sua incrível capacidade de reação. Sagrou-se campeão da Copa do Brasil ao empatar com o Internacional em 2 a 2. O resultado garantiu o título devido à vitória por 2 a 0 no primeiro jogo diante do rival, no Estádio do Pacaembu, no dia 17 de junho. Com a taça, o Timão conquistou a vaga na Copa Libertadores de 2010, o torneio mais importante da América do Sul, no ano em que completa seu centenário. Após chegar ao fundo do poço, a equipe teve um aproveitamento invejável. Das cinco competições de que participou desde então, ganhou três. Além da Copa do Brasil, levou o Campeo-nato Paulista em maio e a série B do Brasileirão de 2008. "Uma recuperação emocionante para um grupo que estava desacreditado", afirma o comentarista esportivo Milton Neves. "Mas a volta ao topo era óbvia, pela força da camisa e de sua história."

Um dos principais responsáveis pela campanha bem-sucedida é o técnico gaúcho Luiz Antônio Venker Menezes, o Mano Menezes (o apelido vem de casa, ideia de sua irmã). O ex-zagueiro, que como jogador nos anos 80 teve desempenho no máximo medíocre, é conhecido por reconstruir equipes. Em 2005, comandou o rebaixado Grêmio de volta à elite do futebol. Quase três anos depois, assumiu o Corinthians com missão similar. De cara, reformulou o elenco e trouxe jogadores como os atacantes Acosta e Herrera, além do lateral esquerdo André Santos. Com seu jeitão introvertido e cara de poucos amigos, conquistou o apoio de dirigentes e torcedores com as seguidas vitórias. "Ele é a peça mais importante do clube hoje", afirma o apresentador e torcedor alvinegro Serginho Groisman, autor do livro Meu Pequeno Corintiano e roteirista do documentário Fiel, que acompanhou o clube na segunda divisão. "As habilidades de Mano como estrategista e o estilo seguro dentro de campo são diferenciais importantes." O técnico arregimentou espaço na internet, com a fama de sua página na rede social de mensagens instantâneas Twitter. Seus cerca de 400 000 seguidores fazem dele o brasileiro mais popular do site. Por lá, escreve sobre seu cotidiano para os corintianos. Após a vitória na Copa do Brasil, por exemplo, postou: "É campeão! Vocês são parte fundamental disso: vamos comemorar o resultado de muito trabalho!".

Claro que a vitória não se deve somente ao trabalho de Mano Menezes. Além da torcida, que nunca abandonou o time nem em seus piores momentos, estão no rol dos heróis o goleiro Felipe, o lateral André Santos - que atuou também na campanha vitoriosa da seleção brasileira na Copa das Confederações, na África do Sul - e os atacantes Jorge Henrique e Ronaldo. Três vezes eleito o melhor jogador do mundo (em 1996, 1997 e 2002), Ronaldo chegou desacreditado no fim do ano passado. Mesmo um pouco longe de sua melhor forma física, marcou gols em momentos importantes, como na primeira partida da final contra o Internacional. Agora, o Corinthians se preocupa em montar um esquadrão ainda mais forte para disputar a Libertadores e, quem sabe, dar mais uma alegria a sua fantástica torcida, justificadamente conhecida como Fiel.

Fonte: VEJA SÃO PAULO