Perfil

Os campeões de produtividade da capital

Do coveiro com mais enterros no currículo à artista com mais obras em exposição, conheça as histórias dos maiorais em diversas áreas

Por: Nathalia Zaccaro e Silas Colombo - Atualizado em

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Jurandir Cruz, coveiro (Foto: Fernando Moraes)

Os paulistanos são conhecidos por trabalhar bastante (até demais, diriam outros brasileiros). Algumas pessoas justificam com folga essa fama. É o caso da gari Maria José Araujo, que recolhe mensalmente mais de 1 000 quilos de detritos no centro, enquanto a média dos seus colegas gira em torno dos 960 quilos. “Tenho orgulho de ser a rainha da limpeza e faço de tudo para continuar brilhando”, conta ela, a funcionária mais eficiente da brigada de 11 000 varredores da metrópole.

Em outras áreas, os campeões de produtividade não estão nos lugares mais óbvios. O cemitério em que há mais enterros é o da Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte (430 por mês). Mas o coveiro número 1 é Jurandir Cruz, que dá expediente no Campo Grande, na Zona Sul, onde são realizados 156 sepultamentos no mesmo período. “Nem eu mesmo sabia que era o líder do ranking do meu setor”, afirma ele. Nesse caso, os 36 anos de trabalho na função o ajudaram a assumir a dianteira. Nenhum outro está há tanto tempo nessa área.

Às vezes, porém, a experiência não é o principal quesito. Que o diga o estudante Kaique Rodrigues. Ele começou no fim do ano passado a disputar campeonatos de videogame. No primeiro semestre de 2013, foi quem mais venceu torneios desse tipo em São Paulo. A seguir, conheça a história desses e de outros profissionais acima da média em suas respectivas áreas de atuação.

QUASE 70 000 ENTERROS

Em quase quatro décadas na labuta de abrir covas e dar acabamento a sepulturas, o coveiro Jurandir Cruz, de 56 anos, tem orgulho do que faz, jura nunca ter visto nada de estranho na penumbra do cemitério e carrega apenas uma frustração. “Nunca enterrei ninguém famoso”, lamenta. “Seria interessante se um dia isso acontecesse.” A celebridade que passou mais perto foi o rapper Sabotage, morto em 24 de janeiro de 2003 — justo quando Cruz estava de folga. Em compensação, a conta de anônimos entregues a seus cuidados é imbatível— quase 70 000 até hoje. Cruz começou a empunhar sua enxada no Cemitério Campo Grande, na Zona Sul, e, assim como os que colocou nos jazigos, nunca mais saiu de perto dali. Hoje, ele prepara uma média diária de seis enterros. Falando no assunto, já imaginou como seria o dia em que chegasse a sua vez? “Rapaz, nunca parei para pensar nisso”, diz. “Mas vou querer um velório normal, sem nenhum exagero.” Para a ocasião, ele só tem um pedido especial: descansar em paz no próprio Campo Grande.

+  Megalojas especializadas em bebês ganham espaço na capital

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Cíntia Yuka, campeã de karaokê (Foto: Lucas Lima)

SEM PERDER O TOM

Para um grupo de paulistanos, karaokê é uma coisa séria. Os craques do negócio costumam se enfrentar em campeonatos. Nesse circuito, a maioral do momento na cidade é Cintia Yuka, de 29 anos. Mesmo sem dominar o idioma, ela se especializou no repertório japonês. Participa de dois campeonatos por mês em média e vence a maioria deles, sempre maquiada e vestida de quimono nas apresentações. “Sou a atual campeã paulista e brasileira em minha categoria”, orgulha-se. A gueixa dos microfones pratica pelo menos uma hora por dia, desde os 10 anos. Apesar da intimidade com o negócio, ela nunca pisou em karaokês tradicionais, como a Choperia Liberdade, por exemplo. “O pessoal vai a esses ambientes mais para brincar. Não gosto de misturar as coisas”, diz.

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Mauro Castro, "reclamão" (Foto: Mário Rodrigues)

RECLAMÃO PROFISSIONAL

Um dos principais canais do município para reclamações é o Serviço de Atendimento ao Cidadão. O paulistano que mais recorre a ele é Mauro Castro, de 51 anos, técnico de operações da Petrobras e morador do Parque Savoy City, na Zona Leste. Desde 2006, ele já protocolou mais de 4 000 queixas sobre temas variados, a exemplo de acúmulo de entulho, buracos nas calçadas e falhas na iluminação. “Meu papel é notificar e cobrar respostas das autoridades para as coisas erradas que vejo por aí”, explica. “Outro dia passei em uma rua perto da minha casa e vi que tinham acertado o asfalto depois das minhas interferências. Eu me senti realizado.”

+  Tours levam paulistanos e turistas a múltiplas degustações

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, juiz de futebol (Foto: Lucas Lima)

O REI DO CARTÃO

Na última quarta (21), o juiz Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, de 40 anos, comandou em Minas Gerais o clássico entre Cruzeiro e Flamengo, da Copa do Brasil. Embolsou um cachê de 2 500 reais. Foi a sua 22ª participação nos campos nesta temporada. Segundo a Federação Paulista de Futebol, nenhum outro árbitro de São Paulo apitou tanto em 2013. Um dos nomes mais conhecidos da torcida, Paulo Cesar de Oliveira atuou dezesseis vezes. Souza não dispensa trabalho, incluindo os jogos da segunda divisão do estadual. Mesmo com catorze anos de experiência, ainda sofre na hora de marcar impedimentos. “Se erro, a família pena em casa com as críticas”, conta ele, que é casado e tem três filhos. Souza ainda encontra tempo para administrar uma empresa de publicidade para internet e uma choperia em Itaquera, bairro recheado de corintianos e, não por simples acaso, escolhido para abrigar o estádio do clube. “Não admiro nenhum time em especial, torço por mim”, desconversa o juiz.

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Marcimone Silva, pizzaiolo (Foto: Fernando Moraes)

FORNO ÁGIL

A rede de pizzarias delivery Dídio é um gigante do setor, com quinze lojas na capital. Sua unidade mais movimentada fica na Lapa. Nos fins de semana, ela entrega uma média de 500 discos por dia. No mesmo período, casas tradicionais como a Castelões vendem menos da metade. “Não dá para trabalhar muito rápido sem comprometer a qualidade”, entende Fábio Donato, dono da Castelões.O pizzaiolo Marcimone Silva, de 35 anos, da Dídio da Lapa, garante que dá. “Tenho um auxiliar que vai preparando a massa enquanto eu recheio quatro delas ao mesmo tempo”, explica. “Para dar conta do recado, é preciso agilidade.”

+ Mais de cinquenta boas pizzarias na capital

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Laerte Cunha, cônego (Foto: Lucas Lima)

SERMÃO INTERMINÁVEL

A Arquidiocese de São Paulo conta hoje com 962 padres. Dos sacerdotes mais antigos, poucos seguem celebrando missas todas as semanas. O cônego Laerte Cunha, de 81 anos, é o mais experiente entre os ainda em atividade. “Faço casamento, batizado, primeira comunhão, sétimo dia... Estou disponível para o que for preciso”, afirma. Cunha ainda não perdeu a empolgação para realizar suas cinco missas semanais na Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus, no Jaçanã, tarefa que cumpre desde 1961. No total, calcula já ter celebrado mais de 10 000 cerimônias. “No início eu passava os sermões em latim, um negócio inacreditável nos dias de hoje”, lembra.

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Talita Zamarioli, hostess (Foto: Lucas Lima)

A DONA DA LISTA

Há pouco mais de um ano, os cantores da dupla sertaneja Munhoz e Mariano explodiram nas paradas de sucesso com o hit Camaro Amarelo e se tornaram celebridades da noite para o dia. A mudança foi tão repentina que nem todo mundo acompanhou. “Não conhecia o rosto deles e barrei mesmo”, conta Talita Zamarioli, de 29 anos, referindo-se a um episódio ocorrido em junho no seu local de trabalho, a porta do Villa Country, na Barra Funda. Para resolver a encrenca com os recém-famosos, ela precisou recorrer ao gerente, que liberou a entrada vip dos rapazes. Talita atua como hostess da maior balada sertaneja de São Paulo desde outubro de 2012. Todas as semanas, recepciona cerca de 12 000 festeiros. Muitos não resistem aos encantos da moça, que recebe pelo menos trinta bilhetinhos por mês com declarações de amor e números de telefone. “Mas, até agora, nenhum terminou em namoro”, garante a hostess, que está solteira há um ano e meio.

+  Funk invade casas de sertanejo universitário e baladas de classe média

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Felipe Corrêa, lavador de cachorros (Foto: Fernando Moraes)

BANHO EM RITMO ANIMAL

Há sete anos, quando lavou o primeiro filhote de cachorro em uma pet shop de Guarulhos, Felipe Corrêa, de 25 anos, pegou apreço pela função. Hoje ,é o campeão de produtividade do endereço paulistano com maior volume desse tipo de serviço, o Pet Center Marginal, no Pari. Por semana, ele atende 100 animais — de cachorros a roedores.O tratamento dura cerca de quarenta minutos. “Se não fizer direito, eles me mordem e arranham”, afirma. Mesmo com a agenda lotada, Correia não nega um encaixe. Sua verdadeira paixão, no entanto, são os animais maiores. “Adoraria dar banho em um cavalo”, sonha.

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Cláudio Finatti, piloto de helicóptero (Foto: Lucas Lima)

UMA LENDA DOS ARES

Cláudio Finatti foi um dos primeiros pilotos de helicóptero de São Paulo. Em 24 de fevereiro de1972, durante uma missão de rotina, avistou um prédio em chamas. Era o Edifício Andraus, no centro. Em onze viagens, conseguiu resgatar 21 pessoas do incêndio, que teve dezesseis vítimas fatais e mais de 300 feridos. O comandante Finatti, como é conhecido no meio, está prestes a completar 43 anos de carreira, com aproximadamente 12 000 horas de voo de helicóptero, número recorde na cidade. “Só vou parar quando não conseguir passar no exame médico”, afirma ele, que completou 73 anos na última quarta (21).

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Maria José Araújo: mais de 42 quilos de lixo por dia (Foto: Fernando Moraes)

VASSOURA IMBATÍVEL

Às 3h30, o despertador da paraibana Maria José Araujo, de 66 anos, apita avisando que é hora de acordar para pegar no batente. Antes das 6 da manhã ela já está a postos na Rua São Bento, no centro. Ao longo do expediente de oito horas, recolhe mais de 42 quilos de lixo das calçadas. A maioria dos colegas de profissão que atuam na capital (a força de trabalho reúne 11 000 funcionários de duas concessionárias) não ultrapassa a marca de 40 quilos por dia. Maria chegou a São Paulo em 1972. Está nesse ofício há doze anos e ganha atualmente um salário de 750 reais por mês. Para se manter no topo do ranking de produtividade, caminha 3 quilômetros diariamente, passando também pelas ruas Álvares Penteado, Doutor Miguel Couto e Líbero Badaró. “Mesmo quando estou de folga saio catando tudo o que está jogado no chão”, conta ela.

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Jenifer Mota, atriz pornô (Foto: Divulgação)

A INCANSÁVEL ATRIZ

Cansada de ganhar pouco em funções como a de vendedora de roupas em uma loja do Brás, Jenifer Mota, de 20 anos, resolveu tentar uma carreira alternativa. Incentivada pelo namorado, que é gerente de uma boate no centro, passou em um teste de câmera e virou Carol Castro, atriz do cinema pornô. Estreou em janeiro em uma cena com outra mulher. “Achei normal, não fiquei nem um pouco constrangida”, conta. Desde então, como estrela ou coadjuvante, participou de outros 74 filmes do gênero, a exemplo de Elas Sempre Querem Mais. “Nenhuma outra mulher atua hoje em São Paulo tanto quanto ela”, afirma Clayton Nunes, diretor da Brasileirinhas, a maior produtora do país nesse ramo. No começo, Carol era conhecida como a “morena devastadora”. O apelido não faz mais sentido desde abril, quando ela pintou os cabelos de loiro. Por dia de filmagem, chega a receber até 1 500 reais. “Não tenho tempo hoje para nada, vivo nos sets de gravações”, diz a incansável atriz. “Quero ganhar ainda muito dinheiro com isso.”

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Renina Katz, pintora (Foto: Juan Guerra)

PINTAR É COM ELA

A Pinacoteca guarda um dos principais acervos de arte do país, com mais de 9 000 obras. Dos diferentes artistas ali representados, a pintora Renina Katz, de 87 anos, é a que tem o maior número de trabalhos expostos: 806. Entre os destaques da seleção do museu, estão serigrafias como Permuta I e a litografia O Jardim. Expoente das artes gráficas brasileiras do século XX, a carioca radicada em São Paulo começou a carreira comum estilo figurativo e engajado em causas sociais. O reconhecimentoveio quando Renina aderiu à abstração e ganhou elogios da crítica pelo uso refinado de cores. Ela continua produzindo gravuras e aquarelas em um ateliê em Pinheiros. “Muita coisa que faço acabo doando à Pinacoteca, pois quero que meu trabalho chegue ao público”, explica.

+ Testamos a monitoria de dez mostras em cartaz na cidade

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Gilberto Siqueira, trompetista (Foto: Fernando Moraes)

NO PALCO 2 500 VEZES

Receber os aplausos da plateia depois de um concerto é uma das grandes alegrias da vida de um músico. O trompetista Gilberto Siqueira, de 62 anos, já viveu essa emoção mais de 2 500 vezes. Integrante da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo desde 1973, ele é recordista em número de apresentações. “Logo que entrei, com 22 anos, era um dos instrumentistas mais jovens, e hoje me espanto ao notar que estou entre os velhinhos da banda”, conta o carioca, que mora em São Paulo desde o primeiro ano de vida.

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Kaique Rodrigues, craque dos games (Foto: Lucas Lima)

O PELÉ DOS GAMES

Um novato vem dominando a temporada 2013 de campeonatos de games na cidade. O estudante Kaique Rodrigues, de 18 anos, que entrou no circuito somente no fim do ano passado, venceu quatro torneios no primeiro semestre deste ano, o melhor desempenho entre os craques dos controles. As vitórias lhe renderam até agora dois consoles de videogame de premiação (cada um deles custa cerca de 2 000 reais). Sua especialidade é o Fifa 2013. Para dominar os macetes do jogo, ele treina seis horas por dia, em média. “A prática leva à perfeição”, acredita.

Maiorais da Capital - Capa - Ed. 2336
Elisângela Bandeira Marques, rodeada por Lucas, Lívia, Beatriz e Bruno (no sentido horário): rotina da pesada (Foto: Fernando Moraes)

QUARTETO FANTÁSTICO

É mais difícil virar mãe de quadrigêmeos do que ser atingida por um raio: uma chance em 614 125. Pois esse “raio” caiu em São Paulo em 21 de novembro de 2008 na residência de Elisângela Bandeira Marques, de 35 anos. Ela é a mãe paulistana com o maior número de gêmeos. Casada com o analista de sistemas Silvio Marques, Elisângela resolveu fazer fertilização e ganhou o bilhete premiado. De uma só vez, Beatriz, Bruno, Lucas e Lívia invadiram a casa, em Santana, consumindo 24 mamadeiras por dia e 1 200 fraldas por mês. Nas primeiras semanas de vida do quarteto, a mãe contou com a ajuda das avós, de uma babá e de uma auxiliar de enfermagem para dar conta da turminha. “A rotina é uma loucura. É difícil acompanhar toda essa energia”, afirma ela, que acabou abandonando o trabalho de auxiliar administrativa para se dedicar integralmente à prole. Nos raríssimos momentos de folga, compartilha na internet sua experiência em um blog.

  • Cartas sobre a edição 2335

    Atualizado em: 23.Ago.2013

  • VEJA SÃO PAULO recomenda

    Atualizado em: 9.Out.2015

    Restaurante, espetáculo, exposição, doceria e outras atrações em cartaz
    Saiba mais
  • Primeira ligação entre a capital e o litoral, também é conhecida como Rodovia Caminho do Mar
    Saiba mais
  • JK Iguatemi / Exposições

    Exposição reúne cadeiras inusitadas

    Atualizado em: 26.Ago.2013

    A Chair Parade, em cartaz até o dia 27 no Shopping JK Iguatemi, conta com vinte modelos
    Saiba mais
  • Na cidade, 77% dos portadores do apelho admitem usá-lo enquanto estão no trânsito
    Saiba mais
  • Expectativa dos organizadores é que edição chegue à marca de 40 000 litros vendidos, 5.000 a mais que em 2012
    Saiba mais
  • Memória Paulistana

    A Kombi deixará de ser produzida

    Atualizado em: 23.Ago.2013

    A trajetória da Velha Senhora foi iniciada em um galpão no Ipiranga em 1953
    Saiba mais
  • Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos e empresários que são destaque na cidade
    Saiba mais
  • Parques / Parques de diversão

    Espaço nomeado de Adalbertolândia diverte a criançada

    Atualizado em: 23.Ago.2013

    Conheça a história do publicitário que mantém um parque infantil gratuito desde 1969 em Perdizes
    Saiba mais
  • As Boas Compras

    Renda para usar em plena luz do dia

    Atualizado em: 23.Ago.2013

    Confira quatro peças que seguem a tendência
    Saiba mais
  • Comportamento

    Confira as novidades da semana da coluna Bichos

    Atualizado em: 2.Out.2015

    A seção fala sobre a abertura de uma padaria pet na cidade
    Saiba mais
  • A polêmica provocada pela divulgação da imagem do atacante corintiano dando bitoca em um amigo
    Saiba mais
  • Segurança

    A confissão de Marcelinho

    Atualizado em: 23.Ago.2013

    Depoimentos de colegas de escola e novos indícios reforçam a participação de Marcelo Pesseghini na chacina da Brasilândia
    Saiba mais
  • Administração / Bairros

    Plano Diretor propõe acelerar desenvolvimento na Zona Leste

    Atualizado em: 23.Ago.2013

    Por meio de isenção fscal para empresas, projeto amplia expansão que já ocorre com o Itaquerão
    Saiba mais
  • Frequentadores têm conforto, serviços e mais de 350 títulos
    Saiba mais
  • Espaços privados são os cenários do momento
    Saiba mais
  • Com uma sólida carreira independente e o primeiro disco recém-lançado, paulistano inova como empresário
    Saiba mais
  • As Boas Compras

    Alameda Santos ganha versão moderna de feirinha de moda

    Atualizado em: 25.Ago.2013

    Mercadinho Chic! instala filial no número 1347, cujas portas abrem de segunda a sexta
    Saiba mais
  • As Boas Compras

    As Boas Compras: fazenda

    Atualizado em: 23.Ago.2013

    Dez itens que remetem ao campo
    Saiba mais
  • Confira as liquidações da semana

    Atualizado em: 29.Nov.2013

    Abaixo, uma seleção de lojas com promoções atraentes
    Saiba mais
  • Italianos

    Domenico

    Rua Doutor Melo Alves, 674, Jardim Paulista

    Tel: (11) 3037 7323

    7 avaliações
  • Cozinha variada

    Ruaa

    Rua Mourato Coelho, 1168, Vila Madalena

    Tel: (11) 3097 0123

    VejaSP
    7 avaliações

    Paredes de tijolos brancos e quadros em exposição dão atmosfera cool ao pequeno espaço. Esse ar descontraído, porém, não explica o serviço lento. Grandalhão, o bolinho de pernil com geleia de pimenta ganha pontos pela cremosidade (R$ 21,00, meia dúzia). A tenra bochecha suína ao molho teriyaki com purê de mandioquinha vem nos tamanhos pequeno (R$ 23,00) e grande (R$ 38,00). Dispense a torta de chocolate branco e frutas vermelhas (R$ 20,00), de massa bem grossa.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Franceses

    Tartar&Co

    Avenida Pedroso de Morais, 1003, Pinheiros

    Tel: (11) 3031 1020

    VejaSP
    9 avaliações

    Nasceu como uma casa especializada em steak tartare. Com o passar do tempo, o consultor Erick Jacquin, famoso como jurado do reality culinário MasterChef Brasil, ampliou a oferta de clássicos. Uma pedida quentinha é o entrecôte ao molho béarnaise (R$ 69,00). Para quem não resiste ao picadinho frio, a receita preparada com filé cortado na faca e servida com fritas custa R$ 59,00. Também cai bem a versão de atum com salada (R$ 62,00). O petit gâteau (R$ 21,00) faz as honras na sobremesa.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Cervejas especiais

    Coisa Boa

    Rua Pedroso Alvarenga, 909, Itaim Bibi

    2 avaliações
  • Quatro casas de comida germânica estão na seleção
    Saiba mais
  • Bares variados / World Class Drink Festival

    bar.

    Rua Joaquim Antunes, 248, Jardim Paulistano

    Tel: (11) 3061 3810

    VejaSP
    15 avaliações

    Ponto de encontro de uma galera entre 20 e 30 e poucos anos, o endereço atende a diferentes interesses. Enquanto dá para papear e petiscar nas mesas do térreo, o primeiro piso é dedicado à badalação. A escura pistinha é animada por DJs e apresentações de pop rock entre quinta e sábado. Rapazes de camisa justa trocam olhares com moças de vestido curto. Turbinam esse clima animado a boa seleção de gins- tônicas preparada pela equipe do bartender Marquinhos Felix, vencedor da etapa nacional do concurso World Class 2016. Peça a deliciosa versão com fatias de caju, manjericão e bitter de grapefruit (R$ 31,00). Para comer, parta para as batatas-bolinhas fritas com a casca (R$ 23,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Empórios ou mercados gourmet

    Casa Santa Luzia

    Alameda Lorena, 1471, Jardim Paulista

    Tel: (11) 3897 5000

    VejaSP
    3 avaliações

    São noventa anos dedicados a abastecer cozinhas com produtos de alta qualidade. Numa circulada rápida pelas gôndolas do supermercado, dá para encontrar, por exemplo, pappardelle italiano da marca Campofilone (R$ 22,60, 200 gramas), farinha de trigo “00” Antimo Caputo (R$ 12,90, 1 quilo) ou flor de sal de Guérande (R$ 42,00, 125 gramas). Na padaria tem baguetes, bagels e petit-fours e no açougue, cortes como paleta de cordeiro com osso. A adega é das boas, com 2 500 rótulos, e o mezanino abriga uma cafeteria na qual é possível tomar um bom expresso.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • A trupe da Cia. Circo de Bonecos traz um picadeiro no qual alguns objetos, manipulados por Claudio Saltini e Sandro Gattone, tomam o lugar dos artistas. Na montagem sem texto embalada por uma animada trilha sonora, um processador de alimentos representa o mágico e faz uma cenoura desaparecer. Já o pregador de roupa vira um equilibrista na corda bamba. Ao juntar humor simples com o competente trabalho dos manipuladores, a peça provoca genuínas risadas. Estreou em 3/8/2013. Até 4/1/2015.
    Saiba mais
  • Sucesso entre as crianças, a animação de 2005 ganhou uma adaptação para os palcos batizada de Madagascar Ao Vivo!, que será apresentada de 26 de setembro a 6 de outubro de 2013 no Ginásio do Ibirapuera. A história narra as aventuras dos animais de zoológico Alex, Marty, Melman e Gloria na ilha africana, terra do rei Julien. O musical tem direção de Gip Hoppe e foi escrito por Kevin Del Aguila. Além da empolgante música I Like to Move It, há outras canções compostas especialmente para a montagem.
    Saiba mais
  • Momento fértil da arte brasileira, os anos 80 tinham como mote o discurso de retorno da pintura, em reação à produção bastante conceitual e política da década anterior. Um recorte do período pode ser apreciado em Geração 80, na Galeria Berenice Arvani. Dezoito artistas estão representados, e a seleção comprova que aquela época não cabe em rótulos limitados. Há muitas telas, não se pode negar, mas elas apostam em estilos variados. Daniel Senise ainda possuía uma pegada quase pop, enquanto Jorge Guinle seguia o neoexpressionismo, gênero forte na época. Paulo Pasta tem exibida uma pintura com elementos de fguração, estranha em relação à sua abstração atual. Há outros trabalhos, a exemplo de objetos de Jac Leirner e esculturas de Angelo Venosa e Sérgio Romagnolo. De 9/8/2013 a 6/9/2013.
    Saiba mais
  • Exposições

    Três perguntas para Bob Wolfenson

    Atualizado em: 23.Ago.2013

    O fotógrafo paulistano exibe na Galeria Millan a série Belvedere, que sai também em livro pela Cosac Naify
    Saiba mais
  • Grupo que leva o humor a sério há mais de vinte anos, o Parlapatões só agora monta seu primeiro espetáculo do dramaturgo francês Molière, O Burguês Fidalgo. Na comédia musical, Sr. Jordain (papel de Hugo Possolo, também diretor e cenógrafo da montagem) é um homem que enriqueceu e não possui títulos de nobreza ou bons modos. Ele contrata professores de filosofia, de esgrima e de música para deixá-lo mais refinado. Mas as pessoas só querem tirar proveito de sua fortuna e de sua ingenuidade. A única que percebe isso é sua mulher, Sra. Jordain (interpretada pelo sempre impagável Raul Barretto). Há ainda o fato de a filha do casal ter se apaixonado por um pobretão. Como é comum nas comédias de Molière, uma grande e mirabolante farsa resolve a trama. Farra talvez seja a melhor defnição para o que o elenco faz no palco. Eles se divertem com as insanidades que propõem em cena e toda a plateia entra no clima. Se o pano de fundo da história critica a emergente riqueza do Brasil, os figurinos, os cenários e os toscos acessórios estão ali justamente para revelar a falta de brilho que há na opulência sem inteligência. A narrativa se passa no século XVII, mas o grupo renova o texto ainda mais com momentos de improvisação. Com Fabek Capreri, Alexandre Bamba, Lívia Camargo, Fernando Fecchio e outros. Estreou em 3/8/2013. Dias 13, 20 e 27/10/2015.
    Saiba mais
  • Sob a direção de Eduardo Tolentino de Araújo, Mariana Muniz e Rubens Caribé protagonizam a comédia dramática escrita por Tennessee Williams (1911-1983). Eles interpretam os irmãos Feliz e Clara, donos de uma companhia mambembe que são abandonados pelo restante do elenco. Como saída, a dupla representa uma peça capaz de redimensionar as relações familiares. Estreou em 2/8/2013. Até 30/3/2014.
    Saiba mais
  • Suspense / Drama

    Quanto Custa?
    VejaSP
    3 avaliações
    Com direção e adaptação de Pedro Granato, o drama de suspense se inspirou em dois textos de Bertolt Brecht, Quanto Custa o Ferro e Dansen. O cotidiano harmonioso de três comerciantes (os atores Ernani Sanchez, Paulo Federal e Pedro Felício) é interrompido pela notícia de um assassinato no entorno das lojas. Estreou em 24/7/2013. Até 11/3/2016.
    Saiba mais
  • Peças

    Três peças com entrada gratuita

    Atualizado em: 23.Ago.2013

    Não precisa pagar nada para curtir Psicose 4h48, A Madrinha Embriagada ou Expresso K
    Saiba mais
  • Espetáculos de dança

    Duas boas atrações que passam pela cidade em setembro

    Atualizado em: 23.Ago.2013

    Programe-se para curtir os espetáculos de Alvin Ailey American Dance Theater e do Balé da Cidade
    Saiba mais
  • Z Festival e NoCapricho ocorrem no mesmo fim de semana
    Saiba mais
  • As montagens que serão apresentadas até o fim do ano no Teatro Municipal já têm ingressos à venda. São elas O Ouro do Reno, de Wagner (9 a 16 de novembro), e La Bohème, de Puccini (10 a 29 de dezembro), com regência de John Neschling, também diretor artístico da instituição. Ainda há ingressos para sessões de todas as óperas. A disponibilidade varia bastante de acordo com os dias da semana -  récitas às terças e quintas são mais fáceis de comprar. La Bohème possui datas com muitos bilhetes disponíveis nas apresentações marcadas para depois do Natal, inclusive na platéia, um dos setores mais concorridos do Municipal. Até 29/12/2013. Atenção: o Teatro Municipal anunciou em 19/09/2013 que a ópera O Ouro do Reno, de Richard Wagner, será exibida apenas em versão concerto, e não em uma produção completa. As datas das récitas permanecem iguais.
    Saiba mais
  • A cantora americana Alicia Keys passa por aqui, em 12 de setembro de 2013, antes de se apresentar no Rock in Rio três dias depois. Ela chega com a turnê Set the World on Fire, que toma como base o seu trabalho mais recente, de 2012. Vencedora de catorze prêmios Grammy, ela não elimina do repertório canções que a ajudaram na conquista dos gramofones dourados, como No One e Fallin’.
    Saiba mais
  • Arrisque encontrar na carreira do diretor Michael Bay um filme melhor do que Sem Dor, sem Ganho. Para contar suas histórias fantásticas, ele abusa de som estridente e efeitos visuais de arrasar, vide Armageddon (1998) e a cinessérie Transformers. Este novo trabalho, inspirado em fatos reais, tem humor (coisa rara em sua filmografia) e uma narrativa sem um pingo de gordura. São mais de duas horas de entretenimento com um extra: a trama faz uma crítica consistente ao culto aos músculos em diálogos de cafajestagem assumida. Tudo começa numa academia de Miami, onde o personal trainer Daniel Lugo (um papel sob medida para Mark Wahlberg) dá duro. De tanto escutar a ladainha de um cliente (Tony Shalhoub) que venceu na vida, Lugo bola um plano de principiante: sequestrar esse empresário. Conta, então, com a ajuda do colega Adrian (Anthony Mackie) e de um ex-presidiário evangélico (Dwayne Johnson). Mas uma sucessão de erros vai pôr os três brucutus em maus lençóis. Estreou em 23/8/2013.
    Saiba mais
  • Criador do seriado Buffy, a Caça-Vampiros e diretor do blockbuster Os Vingadores, Joss Whedon é um cara audacioso. Embora esteja envolvido em Os Vingadores 2, ele volta à cena de forma comedida nessa versão da peça homônima de Shakespeare. O longa foi filmado em apenas doze dias na casa de Whedon, na Califórnia, com um grupo de amigos e em preto e branco. Outra prova de coragem: ele inseriu o texto original em um visual contemporâneo. A mistura funciona. Numa trama de muitos personagens, a comédia romântica concentra-se no vaivém afetivo entre Benedick (Alexis Denisof) e Beatrice (Amy Acker) e nos imbróglios do casamento do conde Claudio (Fran Kranz) com a jovem Hero (Jillian Morgese). Estreou em 23/8/2013.
    Saiba mais
  • Em 1988, Danièle Delpeuch, cozinheira francesa e dona de um sítio na Dordonha, é procurada por assessores oficiais para uma missão especial. Ela recebeu um irrecusável convite para ser a chef particular do presidente François Mitterrand (1916-1996). Nessa simpática comédia dramática, Danièle virou Hortense Laborie (Catherine Frot). Como na maioria dos filmes inspirados em histórias verídicas, há um bocado de fantasia na realidade. Batalhadora e altiva, essa senhora, logo de cara, tem de enfrentar o machismo que, até então, reinava na cozinha do Palácio do Eliseu. Ela arranja um ajudante (Arthur Dupont) e começa a preparar pratos caseiros de dar água na boca de Mitterrand (Jean d´Ormesson). Assim como as refeições de Hortense, o roteiro tem uma aparente simplicidade, porém traz nobres e delicados ingredientes. Estreou em 23/8/2013.
    Saiba mais
  • O cineasta Nelson Pereira dos Santos, que completa 85 anos em 22 de outubro, ganha uma homenagem do Itaú Cultural. Serão exibidos treze de seus 22 longas-metragens — entre eles, os clássicos Rio Zona Norte (1957), O Amuleto de Ogum (1974) e Tenda dos Milagres (1977). O Ciclo de Filmes Nelson Pereira dos Santos foi dividido em dois fins de semana: neste sábado (24/8/2013) e neste domingo (25/8/2013), e no sábado (7/9/2013) e domingo (8/9/2013). Reprise de classe, Vidas Secas (1964), baseado no livro de Graciliano Ramos, é cartaz do dia da abertura, às 20h.
    Saiba mais
  • Retratos femininos aparecem em produções europeias e nacionais
    Saiba mais
  • Em geral, os poucos longas-metragens que chegam de Cuba até nós são registros dramáticos - vide Uma Noite, outra estreia desta semana. A irreverente fita Juan dos Mortos é uma deliciosa subversão: trata-se de uma comédia de terror de fundo político na qual a crítica à ilha de Fidel fica evidente. Segundo o roteiro, escrito pelo próprio diretor, Alejandro Brugués, Havana foi tomada por mortos-vivos. Juan (Alexis Díaz de Villegas), um vagabundo indolente, tira proveito da situação e começa a ganhar uma grana dos vivos que querem se livrar de seus parentes-zumbis. Ao lado do inseparável amigo Lazaro (Jorge Molina), o protagonista vai tentar dar cabo dos inimigos, a quem a TV chama de “dissidentes”. Propositalmente sanguinolenta e trash, embora haja uns efeitos visuais bacanas, a sátira faz rir e refletir sobre a realidade daquele país. Estreou em 21/6/2013.
    Saiba mais
  • Por meio de seis registros reais, o ciclo O Cinema e o Cárcere dá um bom painel do sistema judiciário nacional. Entre as boas pedidas exibidas no Cine Olido, encontram-se O Prisioneiro da Grade de Ferro (Auto-Retratos), dirigido por Paulo Sacramento, em 2003, e O Cárcere e a Rua (2004), de Liliana Sulzbach. Outra atração de qualidade é Leite e Ferro, de Claudia Priscilla, que recebeu o prêmio de melhor documentário no Festival de Paulínia, em 2010, e tem duas sessões: na sexta (30), às 17h, e no sábado (31), às 15h. A fta mostra os dramas de presidiárias grávidas. Dias 22, 30 e 31/8 e 1º/9/2013.
    Saiba mais
  • Cinemas

    Três perguntas para Maria de Medeiros

    Atualizado em: 25.Ago.2013

    Portuguesa radicada em Paris, a atriz e cineasta está em dose dupla na cidade. No palco do Tuca, é intérprete do drama Aos Nossos Filhos e, no cinema, dirige o documentário Repare Bem
    Saiba mais
  • Comportamento

    O jeito do Eça

    Atualizado em: 10.Ago.2016

Fonte: VEJA SÃO PAULO