Música

Orquestras se apresentam de graça no aniversário de São Paulo

Jazz Sinfônica, Banda Sinfônica e Orquestra do Theatro São Pedro farão concertos durante todo o dia. No repertório, peças inusitadas como o tema do personagem Darth Vader

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

Fábio Prado
O maestro Fábio Prado comanda a Jazz Sinfônica (Foto: Divulgação)

O aniversário de São Paulo reserva um bom programa aos apreciadores de música instrumental. A Jazz Sinfônica, a Banda Sinfônica e a Orquestra do Theatro São Pedro realizam concertos especiais para homenagear a cidade em 25 de janeiro. Com entrada gratuita, as apresentações ocorrerão durante todo o dia no Theatro São Pedro.

No repertório, estarão clássicos de banda, como a Marcha Militar Francesa, do compositor Camille Saint-Saëns, além de músicas do cancioneiro popular, a exemplo de Asa Branca, de Luiz Gonzaga. Peças inusitadas também não ficarão de fora: a Banda Sinfônica vai interpertar Marcha Imperial, tema do personagem Darth Vader da saga Star Wars composto pelo americano John Williams.

A atração se inicia com a Banda Sinfônica do Estado, a partir das 11h, sob a regência do maestro Marcos Sadao Shirakawa. O grupo tocará, entre outras, a Marcha das Metamorfoses Sinfônicas, de Paul Hindemith.

Banda Sinfônica
Banda Sinfônica vai interpretar o tema do personagem de 'Star Wars' (Foto: Dani Gurgel)

No período da tarde, a partir das 17h, quem assume o palco é a Jazz Sinfônica regida por Fábio Prado. A orquestra é famosa por dar um tratamento sinfônico a obras do repertório popular e apresenta um especial dedicado à música nordestina. No programa, Lamento Sertanejo, de Gilberto Gil e Dominguinhos, Feira de Mangaio, de Sivuca e Glória Gadelha, além de Só Xote e Asa Branca, de Luiz Gonzaga.

Às 20h, a Orquestra do Theatro São Pedro fecha a série de concertos sob a batuta de Emiliano Patarra. Os donos da casa iniciam o espetáculo com a consagrada abertura de Carmen, de Georges Bizet, e passeiam pelas composições de grandes nomes como Mozart, Manuel de Falla, Astor Piazzolla e Tchaikovsky.

Fonte: VEJA SÃO PAULO