Shows

Orquestra Imperial faz gafieira ao ar livre

Apresentação dançante de grupo carioca contará com participações especiais no Ibirapuera

Por: Carol Pascoal - Atualizado em

Orquestra Imperial 2247
Thalma de Freitas, Moreno Veloso e Nina Becker: clima de baile (Foto: Divulgação)

Em agosto, o festival TelefônicaSonidos promoveu o encontro entre artistas brasileiros e de outros lugares da América Latina no Jockey Club. Dias depois, a organização anunciou o TelefônicaSonidos — Misture-se no Ibirapuera. Trata-se de uma série de shows esporádicos e gratuitos no Parque do Ibirapuera, realizados no estacionamento ao lado do Museu Afro Brasil. Apesar de até agora a programação ter sido mediana, o ciclo termina em alta. No domingo (18), um espetáculo comandado pela Orquestra Imperial, eclético grupo carioca que reúne músicos talentosos, encerra o projeto.

+ Chico Buarque anuncia shows em São Paulo

+ Los Hermanos fará nova turnê em 2012

+ Nostalgia das gafieiras atrai jovens cansados do tuntuntum eletrônico

Com dezoito integrantes no palco, a big band costuma empolgar a plateia com uma animada apresentação em clima de baile. Há espaço para clássicos da gafieira, boleros, sambas-canções, funks e marchinhas de Carnaval. Do ótimo disco “Carnaval Só no Ano que Vem”, lançado em 2007, aparecem “Obsessão”, “Me Deixa em Paz” e “Sem Compromisso”. Cantoras (e musas) do conjunto de marmanjos, Thalma de Freitas e Nina Becker mostram simpatia e logo cativam o público. Habituada a receber convidados, a banda conta com a participação dos cantores Emanuelle Araújo e Criolo.

Dois nomes importantes, porém, estarão ausentes: Wilson das Neves (percussão), viajando em turnê ao lado de Chico Buarque, e Rodrigo Amarante (voz), que volta a se reunir com o Los Hermanos em abril de 2012. Entre os membros do grupo presentes na tarde de domingo, sobressaem Moreno Veloso (voz e percussão), Duani Martins (voz, percussão e cavaquinho), Rubinho Jacobina (voz e teclados), Domenico Lancellotti (voz e bateria), Berna Ceppas (teclados), Kassin (baixo), Nelson Jacobina e Pedro Sá (guitarra).

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO