Mistérios da cidade

Orelhões viram obra de arte

Telefones públicos se tornam telas para artistas paulistanos

Por: Mauricio Xavier [com reportagem de Flora Monteiro e Nathalia Zaccaro]

Call Parade - Cadu Mendonça
Cadu Mendonça: 'Semente de Gente' é o tema representado na cúpula (Foto: Claudio Pepper/ Divulgação Toptrends)

Cruciais até o fim da década de 90, os telefones públicos foram desbancados pela disseminação dos celulares: a capital perdeu quase 20.000 orelhões no último ano, após a mudança de uma regra da Agência Nacional de Telecomunicações.

+ Veja fotos de outros orelhões decorados + Rino Mania em São Paulo

Desde junho de 2011, as operadoras são obrigadas a manter apenas quatro desses aparelhos para cada 1.000 habitantes; antes, o índice era de seis. A partir do próximo domingo (20), 100 dos 48.872 sobreviventes vão para as ruas com a concha pintada por artistas plásticos e ficarão expostos por um mês em pontos como a Avenida Paulista, para conscientizar a população sobre a importância de sua preservação.

Fonte: VEJA SÃO PAULO