Especial

ONG alegra jovens internados em hospitais públicos

Criada por duas amigas, a Tempo de Brincar promove festas para os doentes e seus pais

Por: Carolina Giovanelli

Super-heróis da ONG Tempo de Brincar
Super-heróis no Incor: Luiza Lobo recebeu a visita durante sua internação (Foto: Lilian Knobel)

Em 2011, a jornalista Renata Costa passou cinco meses repletos de angústia ao lado da filha recém-nascida que sofria com um problema cardíaco. O bebê acabou não resistindo e morreu. “Eu poderia ter me lamentado pelo resto da vida, mas resolvi transformar essa desgraça em algo bom para outras pessoas”, conta. Renata montou, no ano passado, a ONG Tempo de Brincar, junto da administradora Fernanda Zylberstajn, cuja filha também teve problemas cardíacos e ficou internada durante seis meses de seu primeiro ano de vida. O trabalho da instituição, que calcula ter ajudado até agora cerca de 700 menores, consiste em dar conforto a crianças que estão há muito tempo em hospitais públicos da cidade.

São promovidas festas e entregas de presentes para alegrar os pequenos pacientes em datas comemorativas, como Natal e Dia das Crianças. No último Dia dos Pais, por exemplo, voluntários vestidos de super-heróis, como Thor, Batman e Homem-Aranha, visitaram as alas de pediatria e UTI infantil do Instituto do Coração e outros dois centros. Tudo é registrado com uma máquin afotográfica instantânea, para que a família tenha recordações desses momentos. “É gratificante ouvir das crianças coisas como ‘hoje foi o melhor dia da minha vida’”, afirma Renata. Junto de Fernanda, ela também promove cursos de artesanato para distrair as mães. A dupla tem agora planos de reformar a brinquedoteca de um hospital de Pedreira, a 138 quilômetros da capital.

Tempo de Brincar. www.tempodebrincar.org.br.

Fonte: VEJA SÃO PAULO