Roteiro

Selecionamos 30 bares com petiscos que custam até R$ 25,00

Entre as porções, há boas opções como os famosos salgados feitos por dona Idalina, no Bar do Luiz Fernandes, além de pastéis, caldos e especialidades árabes 

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

Cervejaria do Luiz Fernandes
Bolinho delícia portuguesa, da Cervejaria do Luiz Fernandes: bacalhau desfiado e arroz integral (Foto: Fernando Moraes)

Com pratos e petiscos com preços nas alturas, vale garimpar boas opções antes de sair de casa para não ter um susto ao receber a conta do bar. Para ajudar os botequeiros nesta   missão, selecionamos bons tira-gostos vendidos por até R$ 20,00. Entre eles, há opções para todos os gostos: desde tapas espanholas aos deliciosos bolinhos servido no bar do Luiz Fernandes, na zona norte.

ATÉ R$ 15,00

■ Bar do Giba: uma das idiossincrasias do bar é não possuir cardápio. Quadros anunciam as especialidades da cozinha, entre elas, o caldinho de mocotó (R$ 12,00).

■ Bar do Luiz Nozoie: pedidas certeiras do cardápio, o rissoles de camarão com catupiry (R$ 2,00) e o espetinho empanado de peixe-espada (R$ 3,00) fazem boa parceria com as garrafas de cerveja vendidas na casa, fundada pelo nissei Luiz Nozoie.

■ Cervejaria do Luiz Fernandes: serve os célebres salgados da dona Idalina, mulher do proprietário, Luiz Fernandes. Batizado de delícia portuguesa, o bolinho preparado com bacalhau, arroz integral, brócolis e azeitona preta e manjericão custa R$ 5,00.

+ O barato dos Jardins: endereços para comer sem gastar muito na região

+ Vila Madalena/Pinheiros: lugares para comer sem gastar muito

■ Donostia: preparada jamón serrano ou queijo béchamel, a croqueta (R$ 8,00 a unidade) merece repeteco. Como manda a tradição nesse tipo de lugar, os pinchos (tira-gostos espetados no palito) ficam prontos sobre o balcão.

■ Empanadas: mantido em estufas sobre os balcões, o salgado que dá nome ao bar pode ser provado em nove versões. A melhor delas é a de carne (R$ 5,90 a unidade), com azeitona preta e uva-passa.

Empanadas
Salgado-ícone do Empanadas, na Vila Madalena (Foto: Mario Rodrigues)

■ A Juriti: O boteco se mantém na ativa há 55 anos. A longeva trajetória justifica-se principalmente pela oferta e qualidade dos tira-gostos. Entre eles, o roll-mops (sardinha curtida espetada numa cebolinha; R$ 3,00 a unidade) e a codorna ao alho e óleo (R$ 8,00).

■ Bar do Luiz Fernandes: em 2012, nasceu o 11º quitute do cardápio: o carequinha (R$ 3,00), um ovo de codorna envolto em massa de alheira e linguiça blumenau. A mais tradicional receita da casa, porém, é o bolinho de carne, feito diariamente com acém passado duas vezes no moedor e caracterizado pelo tempero marcante. Ele chega sequinho à mesa, crocante por fora e com o interior macio e rosado. O petisco encanta também pelo preço: cada unidade custa R$ 3,50.

■ Sancho Bar y Tapas: tapas e pinchos, vendidos de R$ 4,00 a R$ 6,00, ficam prontos sobre o balcão. Agradam as versões de presunto serrano com ovo de codorna frito e de salmão defumado, cream cheese e um toque de limão.

■ Traço de União: ajudam a saciar a fome salgados como a coxinha de frango (R$ 4,00). Com atmosfera de quadra de escola de samba, o lugar vizinho ao Largo da Batata reúne apaixonados pelo som da cuíca, do pandeiro e do tamborim.

Bar do Luiz Fernandes
O bolinho de carne do Bar do Luiz Fernandes: sequinho, crocante e bem saboroso (Foto: Fernando Moraes)

ATÉ R$ 25,00

■ Bar do Ademar: releve o ambiente sem graça — os atrativos estão no cardápio. Quem zela pela cozinha é Arany José de Queiroz, conhecido por Zé, que foi durante dezoito anos garçom do Bar Léo. Prove os canapés de linguiça blumenau ou rosbife, montados no pão preto (R$ 18,00 a porção).

■ Boca de Ouro: para comer, o cardápio apresenta apenas seis porções, a mais cara delas a R$ 12,00. Por esse valor, saboreia-se rabada sobre um cremoso pirão feito de caldo da carne e farinha de mandioca. Sequinhos e crocantes, os torresmos (R$ 10,00) são bem carnudos. Outro petisco, o ovo no purgatório (R$ 12,00) é para provar sem culpa: ao forno e coberto por queijo parmesão ralado assentado no molho de tomate.

■ Canto Madalena: o cardápio é focado na cozinha brasileira. Prove o baiãozinho de dois (R$ 22,00 individual) e o mexidinho mineiro (mesmo preço), este uma mistura de pernil, carne-seca, linguiça toscana, arroz, feijão, queijo branco, ovo e couve.

■ Casa de Maria Madalena: no cardápio do chef Fábio Vieira se encontram tapas feitas com ingredientes brasileiros, a exemplo do saboroso pincho de rúcula selvagem, shimeji e queijo manteiga, envolto na massa de tapioca (R$ 20,00, seis unidades).

Bar do Ademar
Canapés de linguiça blumenau: no Bar do Ademar (Foto: Mario Rodrigues)

■ Cervejaria Nacional: uma das atrações do variado cardápio, o pão caseiro de cevada (R$ 14,00) é preparado  com o bagaço do malte, que sobra da produção da bebida. De boa textura, vem acompanhado de molho de pimenta-verde e manteiga incrementada por redução de cerveja.

■ d'Água Benta: com preços camaradas, o cardápio apresenta as receitas na forma de pequenas porções, na linha das tapas. São exemplos a moqueca de palmito pupunha e banana-da-terra (R$ 16,00) e isca de costelinha de tambaqui com molho de iogurte e curry (R$ 19,00).

■ Dgé: marcado pela boa utilização de itens brasileiros, o cardápio lista escondidinho de músculo (R$ 18,00), que chega coberto por purê de canjica gratinado, e rabada desfiada com banana-da-terra (R$ 19,00), servida ao lado de uma porção de focaccia feita na casa.

■ Dita Cabrita: prove o tentador bolinho chamado dita cabrita, com massa de polenta e recheio de cabrito desfiado (R$ 19,90, seis unidades). Quase todo ao ar livre, o bar tem mesas sob jabuticabeiras e outras árvores frutíferas.

■ Dublin: no cardápio destaca-se a quesadilla (R$ 19,50), panqueca ao estilo tex-mex recheada de queijo cheddar e pedacinho de bacon. Bandas que tocam sucessos do rock apresentam-se de terça a sábado.

■ Empório Alto dos Pinheiros: o variado cardápio traz porções como a de minicafta de cordeiro ao molho de hortelã (R$ 22,00, doze unidades). Nascido um empório, consolidou-se como um santuário da cerveja, com mais de 500 rótulos nas prateleiras.

Original - Salsicha frita
No Original: salsicha viena enrolada em massa de pastel frita (Foto: Fernando Moraes)

■ A Lapinha: com clima de boteco, o endereço abrigado numa simpática esquina destaca-se pelos petiscos, que buscam fugir do óbvio. Prove os pastéis da horta (recheados de couve refogada e gorgonzola; R$ 18,00 a porção com quatro), o jiló chips (R$ 10,00) e o tentador escondidinho de costela bovina desfiada coberto por purê de mandioca (R$ 18,50).

■ Menys: para beliscar, há uma seleção de catorze tapas, como a tenra lula marinada com cebolas roxas com um toque de maracujá (R$ 16,00, quatro unidades).

■ Original: construiu sua fama pelo cuidado dedicado ao chope. Para escoltá-lo, o pacaembu (R$ 18,00, oito unidades) consiste em um pedaço de salsicha viena enrolado em massa de pastel frita.

■ Paróquia: o cardápio valoriza as pedidas vindas do mar, como a casquinha de camarão (R$ 13,00), que é um bobó de camarão servido numa forminha de massa de farinha.

■ Pita-Kebab Bar: com clima de boteco, serve comidinhas árabes, a exemplo dos ótimos kebabes (sanduíches enrolados no pão pita). Entre as nove versões, estão a de cordeiro (R$ 18,50), a de cafta (R$ 16,00) e a de queijo chancliche (R$ 16,00).

■ Rhino: da cozinha sai o polencheesy (R$ 23,00, oito unidades), tubinhos de polenta recheados de catupiry e cogumelos shiitake e shimeji. Bandeiras de times ingleses e uma cabeça de rinoceronte marcam a decoração do bar, que possui um cardápio com quarenta rótulos de cerveja.

■ Sabiá: à frente das panelas, a chef Graziela Tavares apresenta sugestões como o caldinho de abóbora com um discreto toque de curry e gengibre (R$ 10,00); a moela (R$ 15,00) e a língua (R$ 20,00) cozidas; e marinada de abobrinha laminada (R$ 16,00), servida com torradinhas de broa portuguesa.

dge rabada
Panelinha de rabada com banana-da-terra: sugestão do Dgé (Foto: Lucas Lima)

■ Salim: especializado em receitas árabes, o boteco possui um extenso salão de esquina. Entre as opções à la carte estão a cafta (R$ 17,60), de formato redondo, e o michui de frango (R$ 17,60), com tomate, cebola e pimentão intercalados no espeto.

■ Tiro Liro: o bacaninho (R$ 18,00), petisco com o qual a casa conquistou o segundo lugar no concurso Comida di Buteco 2012, traz lascas de lombo de bacalhau puxadas no azeite, alho, cebola e pimenta-do-reino, servidas dentro de uma cestinha comestível de parmesão.

■ Valadares: botequeiros com espírito de aventura gourmet vão à casa em busca de seus petiscos exóticos. Há, por exemplo, rã empanada (R$ 14,00), morcilla (R$ 15,00) e jiló ao vinagrete (R$ 10,00).

■ Venga!: o cardápio reúne tentadoras tapas, entre elas, croqueta de jamón (R$ 6,50) e espetinho de aspargo cozido e presunto cru ao vinagrete de jerez (R$ 18,00), além do delicioso huevo loco (R$ 18,00), com musseline de batata coberta por pedacinhos de chouriço e presunto cru fritos e ovo pochê.

Fonte: VEJA SÃO PAULO