Esporte

Skatista Bob Burnquist indica locais para andar de skate

Hexacampeão mundial da Mega Rampa relembra lugares em São Paulo onde fazia suas manobras 

Por: Marcus Oliveira - Atualizado em

Bob Burnquist
O campeão mundial de skate Bob Burnquist fala os points que praticava São Paulo (Foto: Divulgação)

Nascido em São Paulo, o skatista Bob Burnquist é um velho conhecido das rampas e ruas da capital. Aluno do tradicional Colégio São Bento, no Centro, ele lembra que chegou a ser chamado na diretoria por fazer suas manobras na calçada em frente ao colégio e até já teve que correr da polícia algumas vezes.

+ Entenda o que aconteceu na Roosevelt e as mudanças que serão feitas na praça

Mesmo passando por alguns perrengues, o profissional não desistiu dos ollies e flips (duas manobras da modalidade) e hoje coleciona nada menos que 21 medalhas nos X Games, sendo oito de ouro. Além disso, é hexacampeão mundial da famosa Mega Rampa, ganhou várias versões em jogos de videogame, foi por sete vezes considerado o Skatista do Ano e realizou um feito, até então, inédito completando um Loop ( volta de 360º) em um tubo de metal de 3,5 metros de altura.

Para matar a saudade do território paulistano, Bob Burnquist revela a VEJA SÃO PAULO os lugares preferidos onde fazia suas manobras na cidade:

Bob-Burnquist
O skatista Bob Burnquist é tetracampeão da famosa Mega Rampa (Foto: Chris Ortiz)

Anhangabaú: “Era bem legal porque tinha um local chamado de 'embarcadeiro', que é muito parecido com um que existe em São Francisco (Califórnia). Lá era puro street. Gostava muito do chão rústico. Tem uma barra, chamada de led, que era bem legal. Eu desci em 1993 e foi um baita desafio.”

Viaduto Santa Efigênia: “No viaduto eu subia e descia tudo. O chão era bem gostoso de andar. Eu estudava no Colégio São Bento. Rolavam umas manobras bem legais nos bancos que ficam alí. Uma vez estava andando com uns amigos na guia do colégio e saiu um professor de francês, padre, e expulsou todo mundo de lá, jogou água. Ele foi me buscar na classe no outro dia.”

Avenida Paulista: “Eu andava muito por ali em uma escadaria que fica ao lado do Colégio Objetivo, principalmente à noite e de madrugada. Além disso, na Rua Augusta, uma galera se reúne para andar em vários pontos."

Bob Burnquist
Morando atualmente na Califórnia, Bob coleciona 21 medalhas nos X Games (Foto: Divulgação)

Parque da Independência: “É um lugar histórico e sempre teve guarda reclamando dos skatistas. Mesmo sem ter pistas, dá pra fazer muita manobra boa lá. Eu acho que os caras da história vissem a gente andando iam gostar”.  

Parque Cidade Escola São Bernardo: “Fui muitas vezes lá e é uma estrutura muito boa. Tem grandes obstáculos e as transições (tudo na pista que não estiver na horizontal ou na vertical, podendo ser curva ou reta) são bem legais. Tem também uma pista vertical. É um lugar bem completo para quem curte andar”.

Deixou saudade: “A Ultra Skate Park era uma super pista que abriu em Moema e deixou muita história. Eu e tantos outros amantes do esporte passamos por lá. Fechou em 2010 para a infelicidade de muitos skatistas do Brasil e do mundo. Era famosa por ser bem difícil de andar”.

Fonte: VEJA SÃO PAULO