Exposições

Conheça seis das obras renascentistas do acervo do Masp

Acervo do museu é uma opção para os espectadores que querem fugir das filas da mostra Mestres do Renascimento, em cartaz no CCBB, e tem entrada gratuita às terças

Por: Jonas Lopes - Atualizado em

Raffaello-Sanzio-(Rafael)_Ressurreicao-de-Cristo-Masp
Ressurreição de Cristo, de Rafael (Foto: Divulgação)

Os espectadores que querem fugir das filas para ver a mostra Mestres do Renascimento: Obras-Primas Italianas, em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil, ou que desejam apenas um complemento de qualidade às 57 obras vistas no CCBB têm como opção uma visita ao Masp. O museu da Paulista, cujo acervo é considerado o melhor da América do Sul, possui um bom conjunto de arte italiana daquele momento histórico. Atualmente, dezenove trabalhos ligados de alguma forma ao período renascentista estão exibidos no segundo andar do edifício projetado por Lina Bo Bardi. Selecionamos seis destaques.

Rafael – Ressurreição de Cristo (1499-1502)

Uma das principais jóias do Masp, o óleo sobre madeira está na cidade graças a um lance ousado de Pietro Maria Bardi (1900-1999). O diretor do museu arriscou comprar a obra em Londres, em 1954, apesar de existir então sérias dúvidas sobre se seria mesmo de Rafael. Embora nunca confirmada totalmente, a autoria passou a ser aceita mais tarde por especialistas respeitados.

Andrea Mantegna – São Jerônimo Penitente no Deserto (1448-1451)

Andrea-Mantegna_Sao-Jeronimo-Penitente-no-Deserto - Masp
São Jerônimo Penitente no Deserto, de Andrea Mantegna (Foto: Divulgação)

Tradutor da Bíblia do grego antigo e do hebraico para o latim, São Jerônimo aparece em momento contemplativo na pequenina têmpera de Mantegna. A obra foi emprestada em 2008 para uma retrospectiva do Louvre e voltou de lá fabulosamente restaurada pelo museu parisiense.

Tintoretto – Ecce Homo ou Pilatos Apresenta Cristo à Multidão (1546-1547)

Tintoretto_Pilatos-Apresenta-Cristo-a-Multidao-Masp
Ecce Homo ou Pilatos Apresenta Cristo à Multidão, de Tintoretto (Foto: Divulgação)

Expoente do maneirismo, o pintor de Veneza faz uso de sua célebre habilidade para os pequenos detalhes. A cena pintada por Tintoretto tem intensidade dramática e uso notável de cores, em especial no tom de amarelo das vestes de algumas figuras retratadas.

Sandro Botticelli e ateliê – Virgem com o Menino e São João Batista Criança (1490-1500)

Botticelli-e-atelie_Virgem-com-o-Menino-e-Sao-Joao-Batista-Criança- Masp
Virgem com o Menino e São João Batista Criança, de Sandro Botticelli e ateliê (Foto: Divulgação)

O florentino Roberto Longhi (1890-1970), um dos maiores historiadores da arte do século XX, afirmou, em carta a Pietro Maria Bardi, que em sua opinião as “partes principais” da obra podem ser atribuídas a Botticelli, embora a finalização da delicada têmpera provavelmente seja de discípulos do autor de O Nascimento de Vênus.

Pietro Perugino e ateliê – São Sebastião na Coluna (1500-1510)

Perugino-e-atelie_Sao-Sebastiao-na-coluna-Masp
São Sebastião na Coluna, de Pietro Perugino e ateliê (Foto: Divulgação)

A tela, que retrata São Sebastião com impressionante serenidade após seu martírio (foi acusado de traição pelo imperador romano Diocleciano), chegou a ser atribuída a Rafael. Foi Roberto Longhi quem afirmou ser uma criação de Perugino, um dos artistas que fizeram afrescos nas paredes laterais da Capela Sistina, com participação de seus discípulos.

Mestre de San Martino alla Palma – Virgem com o Menino Jesus (1310-1320)

Maestro-di-San-Martino-alla-Palma_Virgem-com-o-Menino-Jesus- Masp
Virgem com o Menino Jesus, de Mestre de San Martino alla Palma (Foto: Divulgação)

Ativo em Florença no início do século XIV, o autor anônimo desta obra pode ser considerado, na verdade, um antecessor do renascimento. A obra possui características da arte gótica, como o plano bidimensional. Trata-se, provavelmente, da parte central de um retábulo destinado à devoção privada.

Fonte: VEJA SÃO PAULO