Entrevista

Teatro Mágico: música pelo Twitter e novas palavras no terceiro disco

Fernando Anitelli:, líder do grupo, fala sobre o lançamento de "A Sociedade do Espetáculo" e sobre o destino da banda, criada com data de validade

Por: Catarina Cicarelli - Atualizado em

O Teatro Mágico
O Teatro Mágico: grupo se prepara para lançar seu terceiro CD, "A Sociedade do Espetáculo" (Foto: Divulgação)

Há quem lamente e quem comemore. Mas ninguém fica indiferente ao fim do Teatro Mágico. Em 2003, Fernando Anitelli deu início ao grupo e imaginou o projeto como uma trilogia. Oito anos depois, a banda está às vésperas de lançar seu terceiro álbum, “A Sociedade do Espetáculo”, e já lida com o possível término. “Se George Lucas fez uma trilogia com seis filmes, só porque sou de Osasco não posso fazer?”, afirma o músico e compositor. “Não vou acabar com o projeto, vamos dar uma pausa, até porque muitos dos artistas têm suas carreiras", completa.

A parada deve ocorrer daqui a dois anos. A preocupação de Anitelli agora, portanto, é com os preparativos para o lançamento do novo disco. As 19 faixas do álbum estarão disponíveis para download a partir de 6 de setembro. A prática repete o que foi feito nos outros dois álbuns.

Inventor do movimento MPB (Música Para Baixar), Anitelli já colocou na rede o primeiro single, que tem até videoclipe. “O que se Perde Enquanto os Olhos Piscam” é uma "parceria" com usuários do Twitter. “Perguntei o que as pessoas mais perdiam e descobri muitos objetos em comum, como guarda-chuvas. Pedi então que me falassem sobre sentimentos que perdemos, e a partir disso escrevi a letra”.

Diferentemente dos outros trabalhos do grupo, “A Sociedade do Espetáculo” contou com a colaboração do produtor Daniel Santiago. “Depois de dois álbuns do Teatro e um disco solo, já não saía mais nada da minha cabeça. Foi bom ter a perspectiva dele”, diz Anitelli. Com nome inspirado no livro de Guy Debord, o disco se pretende mais refinado do que os anteriores, “Entrada para Raros” e “Segundo Ato”. “Os arranjos estão mais maduros e eu, que sempre gostei de aliterações, procurei outras palavras para usar”, conta o líder da banda.

Com a gravação e masterização do novo trabalho já prontas, o Teatro Mágico está focado na preparação do novo show, que terá outros músicos e artistas circenses. A apresentação estreia no dia 9 de outubro, no Citibank Hall. Até lá, o grupo continua com a turnê de “Segundo Ato”, que já terá pitadas do novo trabalho.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO