Passeios

O que acontece neste sábado (11): exposições

São cinco mostras das mais diversas para visitar neste fim de semana na cidade

Por: Redação VEJA SÃO PAULO on-line

Julião Sarmento
(Foto: Divulgação)

+ O que fazer neste sábado (11)

  • A arte da paulistana Denise Milan busca enaltecer a sabedoria da natureza. É por isso que quartzos, sodalitas e basaltos se transformam na base de suas obras. Catorze pedras pesadas (algumas de até 300 quilos) e maravilhosamente trabalhadas estão espalhadas pela Galeria Lume. Elas parecem lembrar o visitante de uma São Paulo caótica de que o homem pode apreciar e complementar a natureza, sem tentar se sobrepor a ela. Com curadoria de Marcello Dantas, a individual chamada de ConCentração mostra a obsessão de Denise pela forma circular, tanto aquela já existente no universo quanto a forjada. Na peça Cristalino, por exemplo, foi feita a junção de um cristal translúcido de quartzo com aço. Até 23/12/2016.
    Saiba mais
  • O grande tema por trás das obras do português Julião Sarmento é o desejo sob a ótica do voyeurismo, aproveitando-se do apelo daquilo que está apenas sugerido, nunca mostrado. Suas pinturas, vídeos e esculturas sobre o assunto foram reunidos na cidade em 2009, numa retrospectiva na Estação Pinacoteca. O artista agora exibe novos trabalhos na Galeria Fortes Vilaça. A pegada erótica se mantém em alguns dos nove desenhos e colagens da individual — há serigrafias com imagens de seios e uma das habituais personagens femininas sem cabeça e de perfil —, porém misturada a experimentos cromáticos. Sarmento recorre a cores primárias e as apresenta em contraponto com espaços em branco e serigrafias de fotos e plantas de casas modernistas. Completa a seleção o vídeo R.O.C., no qual uma jovem atriz recita fragmentos de um ensaio do filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein (1889-1951). Enquanto lê, séria, ela se despe lentamente. Ao final, senta-se nua e encara o espectador. De 13/05/2011 a 18/06/2011.
    Saiba mais
  • Resenha por Jonas Lopes: Certa vez, o pintor comparou seu trabalho ao de um funâmbulo, a pessoa que caminha sobre uma corda suspensa em grandes alturas. Pretendia, com a analogia, ressaltar a natureza ambígua de uma obra dividida entre a força estética da combinação das cores e as relações com a espiritualidade. Não por acaso, o mineiro Amilcar de Castro (1920-2002) classificou a produção de Paulo Pasta como “uma reza”. As onze telas exibidas em O Fim da Metade É o Começo do Meio, em cartaz na Galeria Millan, reforçam tais características. Herdeiro de uma tradição alinhada às preocupações cromáticas (Morandi, Volpi, Rothko), Pasta impressiona tanto ao recorrer aos vermelhos intensos, matissianos, quanto ao cortejar o silêncio em duas telas marcadas por tons claros, quase invisíveis. Há ainda uma curiosidade: o título da exposição do artista, nascido em Ariranha, no interior paulista, foi extraído de uma canção da dupla caipira Tião Carreiro & Pardinho. Preços não fornecidos. De 01/06/2012 a 30/06/2012.
    Saiba mais
  • Com curadoria de Eder Chiodetto, a mostra traça um painel da fotografia contemporânea em 170 trabalhos. Há muito o que apreciar entre os registros dos 52 nomes da seleção. No eixo artístico, bons exemplos são a curiosa série Desejo Eremita, de Rodrigo Braga, e a bela paisagem paulistana Butantã, de Caio Reisewitz. Convidada especial para a mostra, Claudia Andujar exibe a imagem de uma tribo ianomâmi. De 16/04/2011 a 12/06/2011.
    Saiba mais
  • Cinquenta projetos de arquitetos de diversos países investigam como a sustentabilidade influencia a maneira de pensar e construir ambientes urbanos nos dias atuais. A mostra se divide em módulos e cada proposta é detalhada em textos explicativos, painéis, plantas e projeções de slides. Infelizmente, há pouco interesse para o público não especializado em arquitetura. Ao contrário, por exemplo, de Ecológica, coletiva exibida pelo MAM no ano passado, na qual obras de arte contemporâneas estimulavam com criatividade o debate sobre a sociedade de consumo. O excesso de textos colabora para deixar a nova exposição cansativa. Também em cartaz no MAM: ✪✪ Razão e Ambiente.  De 20/04/2011 a 26/06/2011.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO