Passeios

O que acontece neste domingo (12): programas para crianças

São cinco programas na cidade para se divertir com os filhos

Por: Redação VEJA SÃO PAULO on-line - Atualizado em

Circo de Pulgas - 2210
'Circo de Pulgas': Rani Guerra e Cláudio Saltini treinam um inseto (Foto: Teka Queiroz)

+ O que fazer neste domingo (12)

  • Quando estreou, em 2005, a peça O Ilha do Tesouro causou frisson - era difícil conseguir lugar para acompanhar a divertida aventura. O motivo estava em sua pouco convencional mescla de encenação, interatividade e uma instalação cenográfica de 500 metros feita de madeira, lona e barro. De volta ao cartaz, o espetáculo começa numa taverna na qual o ator Yunes Chami participa da primeira cena com as crianças (obrigatoriamente com mais de 7 anos). Depois, elas entram por um alçapão e partem em busca do tal tesouro. Do outro lado, os adultos presentes viram piratas e também brincam em túneis, labirintos e sequências de lutas de espada até o desfecho, dentro do Teatro do Centro da Terra. Recomendado a partir de 7 anos. Estreou em 14/5/2005. Até 11/12/2016.
    Saiba mais
  • Adaptação musical de Chico Buarque para a peça de Sérgio Bardotti e Luiz Enriquez. Com figurinos coloridos, Rosy Aragão (de voz grave e macia), Juliana Romano e Marcelo Diaz dão vida aos  animais dispostos a fugir dos maus-tratos dos patrões. Além das conhecidas canções originais, entre elas História de uma Gata e A Cidade Ideal, trechos de outras composições ganham menções. Versos como “hakuna matata”, da animação O Rei Leão, arrancam gargalhadas das crianças. Beatriz, pinçada do balé O Grande Circo Místico, de Chico e Edu Lobo, emociona os saudosos adultos na plateia. Recomendado a partir de 3 anos. Estreou em 04/10/2008. Até 18/12/2016.
    Saiba mais
  • Para crianças / Peças

    Coppélias?!
    VejaSP
    Sem avaliação
    O balé cômico escrito por Arthur Saint-Léon e Charles Nuitter com música de Léo Delibes foi um dos pioneiros a apresentar, em 1870, danças como a czarda húngara e a mazurca polonesa. Nessa colorida e animada peça, os passos clássicos se encontram com o maracatu e o frevo em um espetáculo híbrido de dança, música e teatro. Embalado pela batucada das alfaias (tambores típicos do maracatu) e pelo som do violão e da sanfona, o simpático elenco conta em coreografias e canções a história do trovador Franz (Ramiro Murillo). Esse divertido personagem cai de amores pelas bonecas Coppélia e Calunga, papéis das atrizes Ana Noronha e Tarina Quelho. Estreou em 13/06/2009. De 12/06/2011 a 26/06/2011.
    Saiba mais
  • De Cláudio Saltini e Rani Guerra. Sempre competente na manipulação de bonecos e objetos, a Cia. Circo de Bonecos enfrenta um desafio: dividir o palco com uma figura inexistente. Trata-se de uma pulga “encontrada” na plateia, que será treinada pelos hilariantes Cláudio Saltini e Rani Guerra para brilhar num minúsculo picadeiro. Os dois não só se saem bem nessa tarefa como divertem crianças e adultos do começo ao fim da montagem. Também contribui para o sucesso o ator Kleber Brianez. Escondido o tempo todo, ele dubla o inseto e movimenta o cenário conforme suas estripulias. Em uma mistura de momentos fofos, a exemplo do beijo de boa-noite na pulguinha, e piadas simples, como as trapalhadas de Saltini ao seguir as ordens do colega ao pé da letra, a peça deixa a garotada hipnotizada. Vale avisar: o final é de morrer de rir. Estreou em 2/10/2010. Até 19/8/2015. Atenção: Também na Unibes Cultural nesta semana: A Bruxinha, no sábado (22), 11h, e O Anel do Rei, no mesmo dia, 14h.
    Saiba mais
  • Adaptação de Rosi Campos para o conto de Victor Louis Stutz. O musical, com canções de Charles Dallas e Walter Junior e figurino inspirado em obras do cineasta americano Tim Burton, foi criado com base no clássico O Fantasma da Ópera, de Andrew Lloyd Weber. Belinha (Lissah Martins), uma cantora de ópera, resolve parar na cidade de Sinfonia para comemorar o aniversário. Para presenteá-la, seu irmão Zeca (Pedro Bosnich) compra uma velha gaiola do ganancioso vendedor de antiguidades Pierre (Alexandre Pessôa). Lendo um livro, os irmãos descobrem que o objeto pertenceu ao Fantasma da Máscara (Beto Marden) e era usado pela sinistra figura para guardar vozes roubadas de cantores. De repente, o vilão surge em cena e, ao lado da ajudante Dilma (a cantora Naíma), sequestra Belinha. Nos momentos finais, o clima de mistério fica mais intenso — e também divertido —, com as aventuras de Zeca para salvar a moça. Estreou em 02/04/2011. Prorrogado até 31/07/2011.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO