Teatro

O musical Cats, de Andrew Lloyd Weber, chega a São Paulo

Com elenco e produção originais, o sucesso do compositor britânico fica em cartaz no Credicard Hall

Por: Katia Calsavara - Atualizado em

Durante anos, assistir a Cats era um programa quase obrigatório para turistas que desembarcavam em Londres ou Nova York. O musical do compositor inglês Andrew Lloyd Webber, autor também de O Fantasma da Ópera, Evita e Sunset Boulevard, ficou em cartaz de 1981 a 2002 nos teatros londrinos e de 1982 a 2000 na Broadway. Com o fim das apresentações, dois elencos – um inglês e um americano – passaram a excursionar pelo mundo na pele dos felinos que cantam e dançam. Agora, é a vez de os paulistanos conferirem o fenômeno de perto. O grupo americano estréia na quarta no Credicard Hall, onde fará uma temporada de três semanas. O elenco já passou por mais de vinte países, sempre com grande sucesso.

Baseado em catorze poemas do livro infantil Os Gatos (Old Possum's Book of Practical Cats), escrito em 1939 pelo americano T.S. Eliot, o musical conta a história da tribo Jellicle Cats. Todos os anos, os bichanos reúnem-se em um beco para que seu líder, o Velho Deuteronomy, escolha um deles para viver numa espécie de "paraíso dos gatos". Os candidatos à vaga fazem performances em que destacam suas qualidades. Mais que a história em si, o bacana do espetáculo são a caracterização e a movimentação dos atores, que imitam os felinos à perfeição. Entre os momentos mais esperados da noite está a interpretação da gata Grizabella, maltratada por todos os companheiros, para a música Memory.

Diferentemente do que ocorreu com os musicais Les Misérables, A Bela e a Fera e Chicago, que encantaram os paulistanos com artistas brasileiros e letras adaptadas para o português, toda a produção de Cats é estrangeira. Cantada em inglês, a peça terá legendas eletrônicas em português. As músicas serão executadas ao vivo por uma banda formada por dois tecladistas, um guitarrista, um baixista, um baterista e um regente. Para trazer o espetáculo à cidade, o grupo CIE Brasil investiu 1 milhão de dólares. Uma pechincha, se comparado aos custos de pré-produção de Les Misérables (3,5 milhões de dólares) ou O Fantasma da Ópera (10 milhões de dólares), este último em cartaz no Teatro Abril até dezembro.

Além dos 32 atores, a equipe técnica da montagem conta com dezoito pessoas. Todos vêm direto de uma temporada prevista para terminar neste domingo (6), na Flórida. Com eles, chegam 160 toneladas de equipamento. Entre as exigências da produção americana, o figurino dos gatinhos deve ser lavado ao fim de cada apresentação. Um dossiê de 47 páginas foi entregue a dez camareiras com determinações como quais roupas devem ir à máquina com água quente, morna ou fria, qual o tipo de sabão a ser usado e como realizar a secagem. Miau!

CATS. Credicard Hall (3 100 lugares). Avenida das Nações Unidas, 17955, Santo Amaro, fone: 6846-6010. Quarta a sexta, 21h30; sábado, 17h e 21h30; domingo, 16h e 20h30. R$ 80,00 a R$ 200,00. Cc.: todos. Cd.: R e V. Bilheteria: 12h/20h (seg. a dom.). Fnac, TM. Estac. (R$ 20,00). Até dia 27. A partir de quarta (9).

Curiosidades do fenômeno

• Cats encerrou sua carreira na Broadway com 7485 apresentações. É uma proeza e tanto, mas não se trata de um recorde. O musical Os Fantásticos, de Tom Jones e Harvey Schmidt, foi encenado 17162 vezes entre 1960 e 2002 (a peça voltou ao circuito nova-iorquino neste ano).

• Pela primeira vez, dois dos espetáculos mais vistos da Broadway (Cats e O Fantasma da Ópera) ficam em cartaz ao mesmo tempo em São Paulo.

• Não haverá venda de suvenires do musical durante a temporada brasileira.

• A canção Memory conta com mais de 150 versões gravadas por cantores como Barbra Streisand, Barry Manilow, José Carreras e Sarah Brightman.

Fonte: VEJA SÃO PAULO