Cidade

Número de homicídios cai 7,53% na capital

Em paralelo, percentual de furtos subiu 21%

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

polícia rota assalto itaim bibi
(Foto: Futura Press/Folhapress)

Em fevereiro deste ano, o número de homicídios na capital paulista diminuiu 7,53% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo parte das estatísticas criminais divulgadas nesta quarta (23), pelo secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre de Moraes. No início do mês, o jornal O Estado de S.Paulo revelou que assassinatos foram registrados como "morte suspeita", excluindo crimes contra a vida de dados oficiais do governo Geraldo Alckmin (PSDB). 

+ Advogado pró-impeachment é morto com 15 tiros em Guarulhos

+ Jovem diz ter sofrido assédio dentro de vagão do Metrô

O Departamento de Administração e Planejamento da Polícia Civil (DAP) informou que o número oficial de "mortes suspeitas" cresceu na cidade de São Paulo em 2015, em comparação com 2014. O aumento foi de 7,85% no período, passando de 4.035 casos para 4.352. No Estado, o salto foi maior: de 10.961 para 12.347 - aumento de 12 6%.

Em paralelo, a pasta divulgou reduções de homicídios em proporções parecidas: de 5,3% na capital e de 11,5% no Estado. De acordo com Moraes, a proporcionalidade de crescimento e queda nos dois registros não tem "nenhuma correlação". Ele disse ainda que jornalistas que fazem matérias fazendo a comparação "talvez não estejam de má-fé", classificação dada pela pasta na época em que os números foram mostrados em reportagens. "Os dados estão absolutamente abertos para isso (evitar erros de leitura). Basta saber analisar", afirmou.

Ele explicou que as "mortes suspeitas" abrangem casos que não são homicídios e latrocínios (roubo seguido de morte). "Morte suspeita tem acidente de carro. Tem morte natural que acaba sendo colocada porque nenhum médico quer dar o atestado (de homicídio) sem que haja o Boletim de Ocorrência". O adiantamento na divulgação das estatísticas tem dados apenas da cidade de São Paulo. As informações foram divulgadas durante a posse de 48 novos delegados na Academia da Polícia Civil (Acadepol), na Cidade Universitária, zona oeste da capital. Moraes classificou a diminuição dos homicídios aos novos policiais como uma queda "recorde do bem". 

Em relação ao número de vítimas de assassinato, Moraes comemorou a redução de 8,16%. Em fevereiro de 2015, a polícia registrou 200 pessoas mortas contra 149 no mesmo mês deste ano. Ainda nos crimes contra a vida, o governo estadual mostrou que também houve queda nos latrocínios: redução de 37,5%.

Outros crimes

Em fevereiro deste ano, os furtos aumentaram 21%. De acordo com Moraes, a Polícia Civil vai avaliar os dados para reforçar delegacias que registraram mais esse tipo de crime. O número de roubos em geral e furto de veículos também cresceu no mês passado: 1,85% e 0,97%, respectivamente.

Nos casos de veículos levados em assaltos, a queda foi de 10 73%. Os roubos de cargas tiveram diminuição de 7,19% e os de bancos caíram 60%. Os casos de estupro e sequestro tiveram queda de 4,19% e de 50%.

Fonte: VEJA SÃO PAULO