Bares

SubAstor apresenta novos coquetéis

Carta traz 23 novidades assinadas pela equipe do barman Rogério Souza

Por: Fabio Wright

SubAstor - beet bit
Beet by bit: taça envolta por papel-manteiga (Foto: Fernando Moraes)

Prometida para o ano passado, a aguardada mudança na carta de coquetéis do SubAstor demorou bem mais que o esperado para sair do papel. No último dia 21, na surdina, o endereço instalado no subsolo do Astor, na Vila Madalena, finalmente a colocou em vigor.

+ Coquetéis de fumaça viram moda em bares paulistanos

+ Dez endereços para paquerar na cidade

O atraso, pelo menos, valeu a pena. Trata-se da mais significativa renovação na lista de sugestões do lugar desde sua abertura, em 2009. Foram apresentadas 23 novas receitas, criadas em conjunto pelos cinco barmen da casa, liderados por Rogério Souza — agora à frente do belo balcão de doze lugares. Para auxiliar na escolha, os drinques passaram a trazer a indicação da principal característica do sabor, como meio amargo, cítrico, herbáceo...

+ Acompanhe o melhor da noite paulistana no canal Bares

Uma das estrelas do cardápio, o beet by bit (R$ 23,00) vem numa taça de vinho enrolada em papel-manteiga. A ideia foi dar um efeito visual que lembrasse uma rosa. De paladar com notas frutadas e amargas, a pedida combina o aperitivo italiano Aperol com um inusitado xarope natural de beterraba. Completam a refrescante fórmula sucos de limão-siciliano e grapefruit e espumante.

SubAstor - sub bramble
Sub bramble: toque apimentado (Foto: Fernando Moraes)

Quem aprecia bebidas com um toque apimentado não pode perder o sub bramble (R$ 23,00). Preparado numa taça retrô, leva gim inglês, xarope de gengibre, licor francês de amora e suco de limão-siciliano. Gotas de bitter da forte pimenta habanero conferem a picância. Ainda que não tão marcante quanto os outros dois, o la quebrada (R$ 23,00) destaca-se pelos ingredientes. Entram na composição tequila, purê de abacaxi e, o mais interessante, aromáticas sementes de erva-doce polvilhadas. Sossegado no início da semana, quando predominam os casais, o SubAstor costuma pegar fogo de quinta a sábado, dias nos quais as misturas etílicas turbinam a paquera.

Fonte: VEJA SÃO PAULO