Crise hídrica

Nível do Cantareira sobe e chega a 8,3%

Nível supera o índice registrado em dezembro. Outros cinco reservatórios também marcaram aumento da água armazenada entre ontem e hoje

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Sistema Cantareira edição 2374
O reservatório da Cantareira: aumento constante (Foto: Mario Rodrigues)

O nível do sistema Cantareira subiu novamente e chegou a 8,3% nesta terça-feira (17) , segundo dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O volume supera o índice registrado em dezembro. Entretanto, há um ano, em fevereiro de 2014, estava em 18,5%.

Outros cinco reservatórios (Alto Tietê, Guarapiranga, Alto Cotia, Rio Grande e Rio Claro) também marcaram aumento da água armazenada entre ontem e hoje.

+ Paulistanos correm para comprar caixas d’água

Com aumento de 0,5 ponto porcentual, o nível do Cantareira passou de 7,8% para 8,3% de sua capacidade. A pluviometria sobre a região do manancial foi de 22,3 milímetros. O volume fez a chuva acumulada em fevereiro saltar para 228,4 milímetros, mais que os 199,1 milímetros esperados para o mês. Segunda-feira (16), quando o índice era de 7,8%, se registrou que as chuvas que atingiram a capital superaram a média histórica para o mês de fevereiro.

O atual cálculo da Sabesp já considera duas cotas do volume morto, uma de 182,5 bilhões e outra de 105 bilhões de litros de água, que foram acrescentadas em maio e outubro de 2014, respectivamente.

Outros mananciais

O sistema de abastecimento Alto Tietê aumentou 0,6 ponto porcentual e passou de 14,6% para 15,2%, beneficiado pelo grande volume de precipitação. Na região, choveu 17,5 milímetros o que fez a chuva acumulada subir para 217 mm. Isso já supera os 192 mm esperados para o mês.

Já o sistema Guarapiranga subiu de 55,3 para 55,6% de sua capacidade, enquanto Cotia saltou de 34,5 para 34,7, Rio Grande foi de 81,1 para 82,0 e Rio Claro de 32,8 para 33,2.

Fonte: VEJA SÃO PAULO