Crise Hídrica

Nível do Cantareira fica estável pela segunda vez no mês

Chuva das últimas 24 horas ajudou a estabilizar reservatório em 10,8% de sua capacidade

Por: Veja São Paulo

sistema cantareira
Uma das represas do Sistema Cantareira: São Paulo passa por maior crise hídrica da história (Foto: Divulgação)

A chuva das últimas 24 horas deixou o Sistema Cantareira estável pela segunda vez em quatorze dias no mês de novembro, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Nesta sexta-feira (14), o nível do reservatório ficou em 10,8% com 24,4 milímetros de chuvas acumuladas sobre as represas que formam o reservatório.

+ Chuva faz nível do Cantareira ficar estável

No mês todo choveu 90 milímetros sobre o reservatório enquanto no mês anterior foram 42,5 milímetros em 31 dias. A nova estabilidade foi causada pelas precipitações no sul de Minas Gerais e em regiões no entorno da Bacia dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) na região de Campinas.

Volume morto

Apesar da Agência Nacional de Águas (ANA) ter liberado a Sabesp para puxar os 105 bilhões de litros de água do segundo volume morto, o relatório desta sexta-feira do órgão federal mostra que a primeira conta da reserva técnica de 183,5 bilhões de litros mais do que zerou: está negativa.

Pelo relatório, a Sabesp está devendo água da primeira cota do volume morto. A ANA afirma que a companhia invadiu a segunda parcela já em outubro na Represa Atibainha. A companhia nega e afirma que considera o Sistema Cantareira como um todo e não individualmente por reservatório.

(Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO