Esporte

Neymar e companhia vão engordar lista de vexames do futebol nos Jogos?

Acredite: no passado, outras seleções brasileiras fizeram igual ou pior nas Olimpíadas

Por: Sérgio Ruiz Luz - Atualizado em

Brasil1996didaaldair
Trombada entre Dida e Aldair na estreia dos Jogos de Atlanta, em 1996 (Foto: Internet reprodução)

Se não vencer a Dinamarca no jogo desta quarta, às 22h, a seleção de Neymar pode ser eliminada dos Jogos do Rio na primeira fase, um fiasco e tanto para o time que era considerado favorito a conquistar o ouro no torneio. Caso a zebra se confirme, o Brasil confirma sua tradição em dar vexames olímpicos. A lista dos mais memoráveis ns história recente:

1. Com jovens craques como Dirceu, Falcão e Roberto Dinamite, o escrete chegou a Munique, em 1972, com banca de favorito. Não passou da primeira fase. Perdeu para a Dinamarca, empatou para a Hungria e, coroando a jornada desastrosa, acabou eliminado ao ser derrotado pelo Irã. 

selecao-olimpica-1972_6gmx3t4cxt101pi0wxwx36aow
Seleção brasileira nos Jogos de Munique, em 1972 (Foto: Placar)

2. Às vésperas do Jogos de Moscou, em 1980, o Brasil de Mauro Galvão, Anselmo e outros craques sucumbiu no pré-olímpico realizado na Colômbia. 

3. Mesmo contando com futuros campeões mundiais como Cafu, Roberto Carlos e Márcio Santos, o escrete sequer se classificou para os Jogos de Barcelona, em 1992. Acabou eliminado no torneio pré-olímpico após um empate de 1 a 1 com a Venezuela. 

4. A derrota por 1 a 0 na estreia contra o Japão, com direito a uma trombada memorável entre o zagueiro Aldair e o arqueiro Dida no lance do gol parecia anunciar o desastre à vista nos Jogos de Atlanta, em 1996, para a super-favorita equipe com estrelas como Rivaldo, Ronaldo e Bebeto, além do técnico Zagallo. Aos trancos e barrancos, o time chegou à semifinal, mas sofreu morte súbita na prorrogação contra a Nigéria. O bronze conquistado na partida contra Portugal não apagou a decepção. A equipe sequer compareceu à cerimônia de premiação. 

5. Quatro anos depois, em Sydney na Austrália, um enredo parecido. Timaço com Alex e Ronaldinho Gaúcho enfrenta africanos nas quartas de final da competição. Mesmo com dois jogadores a mais em campo, perde na prorrogação. Sobrou para o técnico Wanderley Luxemburgo, demitido na sequência.

brasil-x-camaroes-olimpiadas2000-sidney-original
Brasil e Camarões nas Olimpíadas de Sydney, em 2000 (Foto: VEJA)

6. Nova desclassificação em torneio pré-olímpico, desta vez, para Atenas, em 2004. Na ocasião, o time tinha jogadores como Paulinho e Marcel. 

7. Na cidade de Pequim, em 2008, Ronaldinho Gaúcho era de novo o maior nome da equipe naquela edição dos Jogos. Na semifinal, o time levou um baile da Argentina de Messi e saiu de campo derrotado por 3 a 0. Mais uma vez, o bronze (conquistado contra a Bélgica) ficou com um sabor amargo.

 

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO