Teatro

3 perguntas para...Nathalia Timberg

Atriz carioca fala de sua vida e seu novo trabalho no teatro

Por: Dirceu Alves Jr. - Atualizado em

Nathalia Timberg e Rosamaria Murtinho_2178
Nathalia Timberg e Rosamaria Murtinho dividem a cena em 'Sopros de Vida' (Foto: Cristina Granato)

Em seis décadas de carreira, a atriz carioca Nathalia Timberg, de 81 anos, integrou companhias célebres como o TBC e o Teatro dos Quatro. Também conheceu a popularidade nas novelas ‘O Direito de Nascer’ (1964) e ‘Vale Tudo’ (1988). A partir de sexta (20), Nathalia divide a cena com a atriz Rosamaria Murtinho no drama ‘Sopros de Vida’, que estreia no Teatro Vivo.

'Sopros de Vida' surge uma década depois de outra parceria com Rosamaria Murtinho, a comédia ‘Letti e Lotte’. Pretendiam reeditar esse encontro?

Tenho uma memória péssima para datas e nem me dei conta dos dez anos de ‘Letti e Lotte’. O que guardo desse espetáculo é uma linda lembrança afetiva, de dividir a cena com uma atriz que valoriza o teatro e reconhece o estilo de um texto. Procuro tornar minha a escrita do autor, para melhor transmitir o que ele quis dizer, e não mostrar quem sou por meio do texto. E é bom reencontrar colegas que valorizam sutilezas e não procuram só um humor bobo.

Como manter o entusiasmo depois de sessenta anos de carreira e tantas transformações no teatro brasileiro?

Na minha vida é assim, o tempo passa e eu nem percebo. Cada peça ou novela é uma viagem diferente, um universo a descobrir. Sinto uma insegurança diante de cada personagem que me traz de volta à juventude. Vivemos um momento no qual um sujeito que sabe andar, falar e tem cara de pau é considerado ator. Precisamos ficar atentos para essa globalização não desvalorizar nem desmotivar nosso trabalho.

Ainda existe algum dramaturgo que você sonhe montar?

Nos anos 60, eu interpretava Antígona no teatro, nas ruas estourava o golpe militar e eu conhecia o poder da televisão com a novela ‘O Direito de Nascer’. E fui, aos poucos, me dando conta da importância das coisas, sem fazer planos. Agora estou voltada para esta peça, mas, no fim do ano, começo a gravar a próxima novela das 9, ‘Insensato Coração’, de Gilberto Braga. É uma enorme responsabilidade fazer televisão no Brasil, tenho certeza. Muito maior que na França ou na Inglaterra, devido ao alcance.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO