Bichos

“Não souberam cuidar de mim”

O sagui que ficou com os membros atrofiados

Por: Carolina Giovanelli

Sagui - Capa 2338
O sagui, de 6 anos: comprado no mercado negro (Foto: Lucas Lima)

“Na hora em que meu ex-dono me comprou no mercado negro, pensou em como seria legal ter um animal exótico em casa. Porém, não se informou sobre quais eram os cuidados necessários com um sagui. Na hora de me alimentar, não teve dúvida: ele me deu um monte de bananas. Na verdade, deveria me dar ração, carne branca cozida, iogurte e outros petiscos. Como eu não pulava de árvore em árvore (como fazem os outros da minha espécie que vivem soltos na natureza), porque estava preso, longe do sol, meus movimentos se atrofiaram e eu fiquei assim, todo encolhido. Só consigo me arrastar, bem devagar. Meu tutor não gostou de como fiquei e me doou em agosto ao Centro de Recuperação de Animais Silvestres do Parque Ecológico do Tietê, onde estão cuidando direito de mim.”

— Sagui, 6 meses

+ Duas denúncias de maus-tratos contra animais são registradas diariamente na capital

+ "Quase morri de fome"

+"Fiquei cego de um olho"

+ "Morava em uma casa com centenas de coelhos”

+ "Fui abusada e atropelada"

+ “Cortaram minhas penas”

Fonte: VEJA SÃO PAULO