publicidade

Teatro

My Fair Lady: musical estreia em São Paulo

Clássico sobre a florista transformada em moça fina engrossa cardápio de espetáculos

18.set.2009 | Atualizada em 7.dez.2010 por Mônica Santos

Quando se abrirem as cortinas do Teatro Alfa, na próxima sexta-feira (9), o circuito teatral da cidade passará a ter três megamusicais em cartaz. Com orçamento inicial de 4 milhões de reais – outros 8 milhões serão necessários para manter os sete meses da prevista temporada –, My Fair Lady chega para engrossar a afinada e bem-sucedida cantoria nos palcos, ao lado de O Fantasma da Ópera e Sweet Charity. Juntas, essas duas montagens já atraíram 865.000 espectadores. Para a alegria dos fãs do gênero, estão a caminho mais duas grandes produções: Peter Pan, com sessões prometidas para junho, e Miss Saigon, que substitui o Fantasma a partir de julho. Adaptação do americano Alan Jay Lerner para a peça Pigmaleão – uma refinada comédia sobre o machismo e a hipocrisia social inglesa escrita pelo irlandês Bernard Shaw –, My Fair Lady acompanha o empenho do arrogante professor Higgins em transformar a vendedora de flores Eliza Doolittle numa dama da sociedade. Para isso, garante ele, basta levar a mocinha a trocar o cockney (sotaque da periferia londrina) pelo inglês culto, ensinar-lhe boas maneiras e vesti-la com belas roupas. Considerada um dos primeiros fenômenos da Broadway, a peça estreou em 1956 com Julie Andrews e Rex Harrison no elenco. Ficou seis anos em cartaz e ganhou várias outras montagens nas últimas décadas. Com Audrey Hepburn no lugar de Julie Andrews, a versão cinematográfica, de 1964, faturou oito Oscar. A história do teatro brasileiro também registra uma exitosa produção de My Fair Lady. Foi em 1962, no antigo Paramount, hoje Teatro Abril, com Bibi Ferreira e Paulo Autran. Os cenários, os figurinos e o diretor eram americanos, enquanto o texto se baseava numa versão argentina. "A dificuldade maior era fazer em português os exercícios de prosódia tão essenciais para o humor da peça", lembra Autran, que a toque de caixa tratou de melhorar a tradução. Na montagem que estréia nesta semana, o desafio lingüístico será levado por Daniel Boaventura e Amanda Acosta. Ele foi convidado para o papel graças a elogiados desempenhos em espetáculos como Vítor ou Vitória, A Bela e a Fera e Chicago. Já Amanda, que cantou no antigo grupo Trem da Alegria, enfrentou o árduo teste que atraiu 1800 candidatos e selecionou, além dela, outros 34 atores e dezenove músicos. "Graças aos grandes musicais montados na cidade na última década, agora temos um excelente time de profissionais à disposição", diz o diretor Jorge Takla. Embora não seja obrigado por contrato a seguir ao pé da letra a eficiente cartilha dos musicais americanos, como no caso de O Fantasma da Ópera, ele manteve-se fiel à carpintaria do gênero. Na ficha técnica, há alguns nomes de peso: Daniela Thomas assina os oito cenários; Claudio Botelho, especialista em versões do teatro musicado, traduziu as canções para o português; e Fábio Namatame criou cada uma das cerca de 1500 peças do figurino. Só trajes são mais de 300, incluindo um vestido bordado com 3.000 cristais Swarovski e que pesa 7 quilos. É com ele que Amanda, no papel da desajeitada Eliza Doolittle, coloca à prova a divertida e envolvente teoria do professor Higgins. MY FAIR LADY (150min, com intervalo). Teatro Alfa (1 122 lugares). Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, Santo Amaro, 5693-4000. Quinta e sexta, 21h; sábado, 17h e 21h; domingo, 16h e 20h. R$ 40,00 a R$ 140,00 (dom., 20h); R$ 50,00 a R$ 160,00 (qui. e sex.); R$ 60,00 a R$ 185,00 (sáb., 17h e 21h, e dom., 16h). Bilheteria: 11h/19h (seg. a qua.); a partir das 11h (qui. a dom.). Cc.: todos. Cd.: V. Televendas: Alfa ( tel: 0300 7893377), Show Tickets (tel:3031-2098 e 3811-9874), FP, IC, IR. Estac. (R$ 7,00; c/manobr., R$ 14,00). www.teatroalfa.com.br. Estréia prometida para sexta (9).

publicidade

X

Avaliação de VEJA SP

Não foi avaliado

Avaliação de VEJA SP

Péssimo

Avaliação de VEJA SP

Fraco

Avaliação de VEJA SP

Regular

Avaliação de VEJA SP

Bom

Avaliação de VEJA SP

Muito bom

Avaliação de VEJA SP

Excelente

Avaliação dos usuários

Ainda não foi avaliado

Avaliação dos usuários

Péssimo

Avaliação dos usuários

Fraco

Avaliação dos usuários

Regular

Avaliação dos usuários

Bom

Avaliação dos usuários

Muito bom

Avaliação dos usuários

Excelente

Avaliação do usuário

Péssimo

Avaliação do usuário

Fraco

Avaliação do usuário

Regular

Avaliação do usuário

Bom

Avaliação do usuário

Muito bom

Avaliação do usuário

Excelente

Péssimo

Fraco

Regular

Bom

Muito bom

Excelente

Comente

Envie por e-mail