Teatro

Musicais que embalam sucessos da MPB dos anos 30 aos 60

Por: Redação Veja São Paulo

Vingança - foto de João Caldas
Cena do espetáculo 'Vingança' (Foto: João Caldas)

+ Leia mais sobre teatro

Confira as quatro peças do gênero em cartaz:

  • Com dramaturgia de Ricardo Leitte, a comédia musical reproduz a atmosfera da boemia por meio de um movimentado bar. Romances, traições e desencontros inspiram as cenas. Sucessos de Cartola, Noel Rosa, Dalva de Oliveira e Lupicínio Rodrigues aparecem na trilha. Com Antônio Netto, Cibele Troyano, Sergio Carrera, Wilma de Souza e os pianistas Miro Silveira e Andrey Ivanov. Estreou em 9/5/2014. Em cartaz por tempo indeterminado.
    Saiba mais
  • Em 2010, os atores Carlos Moreno e Mira Haar celebraram em Florilégio Musical a amizade iniciada no grupo Pod Minoga, lá pelos anos 70. A aceitação do projeto rendeu uma continuação, e à dupla se juntou a atriz Patricia Gasppar. Desta vez, o trio homenageia os astros da música brasileira dos anos 30, 40 e 50, época em que o rádio e as grandes vozes dominavam a mídia. Em seis blocos, eles cantam sucessos de Emilinha Borba, Francisco Alves, Nelson Gonçalves e Cartola, entre outros, e, numa ponte com a atualidade, chegam a Michel Teló. A irreverência muitas vezes dá o tom e pode divertir parte dos saudosistas, mas, na falta de uma costura dramatúrgica, a espontaneidade fica diluída no palco. Estreou em 13/10/2013. Até 30/8/2015.
    Saiba mais
  • Com direção e texto de Eduardo Mansur, a comédia musical busca inspiração em canções de amor lançadas entre as décadas de 20 e 70. Dora (interpretada por Naíma) e Leonel (o ator Luiz Araújo) estão à for da pele e usam a música para expressar pensamentos e decisões. Sucessos de Dalva de Oliveira, Ataulfo Alves, Dolores Duran, Noel Rosa, Maysa e Herivelto Martins aparecem no repertório. Com Beto Marden, Charles Dalla, o pianista Marcel Barreto e o baterista Abner Paul. Estreou em 11/4/2014. Até 5/2014.
    Saiba mais
  • O jeito tímido do compositor gaúcho Lupicínio Rodrigues (1914-1974) destoava um pouco do caráter melodramático de suas canções. Esse estilo exaltado era a marca dos principais cantores do rádio e temas como Nervos de Aço, Esses Moços e Cadeira Vazia se popularizaram nas décadas de 40 e 50, transformando-o no mestre da dor de cotovelo. Com o musical idealizado e escrito por Anna Toledo, a obra e o universo de Lupi chegam ao teatro através de uma bem construída dramaturgia. Os personagens alternam-se constantemente nos papéis de traidor e traído e arrebatam o espectador. Maria Rosa (Amanda Acosta) é uma bailarina protegida pelo bicheiro Alves (Leandro Luna), mas incapaz de controlar a paixão pelo funcionário público Liduíno (o ator Jonathas Joba). Este, por sua vez, é casado com Luzita (Anna Toledo), que, no passado, se envolveu com Orlando (Sérgio Rufino), o dono do cabaré onde Rosa e Linda (Andrea Marquee) trabalham. Em meio a essa teia folhetinesca, os personagens se cruzam e a montagem, sob a direção geral de André Dias, mostra que as criações de Lupicínio resistem bravamente ao tempo. Estreou em 1º/5/2013. Até 11/9/2014. Som na caixa: as músicas são executadas ao vivo por três instrumentistas.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO