Mistérios da Cidade

Com peças raras, Museu da Tatuagem fica no centro

Aberto a visitações agendadas, estabelecimento conta com mais de 500 itens

Por: Alexandre Nobeschi [Com reportagem de Felipe Neves]

Polaco - Museu da Tatuagem
Polaco criou o primeiro e único museu dedicado ao tema no Brasil (Foto: Mario Rodrigues)

Um dos pioneiros dos estúdios de tatuagem na capital, Elcio Sorrentino, de 53 anos, mais conhecido como Polaco, fundou em 2004 o primeiro e único museu dedicado ao tema no Brasil. O negócio fica no centro e só recebe visitas agendadas de interessados em conferir cerca de 500 peças. Entre as raridades está uma ferramenta utilizada por presos do antigo Carandiru, feita com uma caneta, pedaços de couro e um motor de vitrola. Há ainda algumas máquinas estilizadas, produzidas com garfos retorcidos e correntes de moto.

+ Chefs se revoltam contra lei do foie gras

O fundador está em busca de um patrocinador para conseguir um espaço maior para seu acervo. Com mais de trinta anos de experiência no ramo, Polaco começou fazendo artesanato. Com a renda do que vendia, passou a investir nos primeiros equipamentos do ofício. Tão difícil quanto obtê-los na época, no entanto, era enfrentar o preconceito. “Os tatuadores eram tachados de vagabundos, maloqueiros... Atualmente há mais abertura e aceitação, ainda bem.” Autodidata, o brasileiro já conseguiu mais de vinte prêmios nacionais e internacionais na área. 

+ Funkeiro de 6 anos causa polêmica com música de duplo sentido

Museu Tattoo Brasil, Rua 24 de Maio, 225,República. Telefones: 3222-8049 e 3333-4220

Fonte: VEJA SÃO PAULO