Trânsito

Multas por uso de celular no trânsito até maio superam as de 2014 inteiro

De acordo com a CET, foram 166 348 infrações nos primeiros cinco meses de 2015. Números também superam 2013 

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

congestionamento
Até maio, foram registradas 166 348 multas por uso de celular (Foto: Mario Rodrigues)

O primeiro semestre de 2015 ainda não acabou, mas o registro de multas por uso indevido do telefone no trânsito já supera o número total do ano passado. De acordo com informações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), foram 166 348 infrações entre janeiro e maio deste ano. O índice é 30% maior do que o acumulado durante o ano de 2014, que contabilizou 114 906 notificações aos condutores.

+ Justiça determina o sequestro de 79 imóveis de fiscal da prefeitura

Em relação a 2013, os indicadores também apontam uma escalada na imprudência. Mesmo que a diferença seja menor, o aumento foi de 8% na concessão de multas. E ainda que parciais, os números são uma má notícia para a segurança nas vias de São Paulo. De 2013 – que contabilizou 153 060 multas – para 2014, houve queda de quase 25%.    

Conforme Sérgio Ejzenberg, especialista em engenharia de trânsito, o uso de telefones celulares comprovadamente tira a atenção dos motoristas e, por isso, deve ser evitado. “Na velocidade média das vias urbanas, que é de 60 quilômetros por hora, os carros e motos andam cerca de 17 metros por segundo. Ou seja, em quatro segundos, tal distância equivale a quase um quarteirão. Assim, se estiver mexendo no celular e precisar frear, não vai ter reflexo, porque estará desatento”, explica. Ele ainda acrescenta que também os pedestres precisam ficar longe do aparelho, principalmente no ato de atravessar a rua. 

+ Com idades entre 9 e 15 anos, menores são apreendidos por roubo

No ano passado, uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia apontou que 84% dos motoristas de São Paulo e Rio de Janeiro admitem usar o celular enquanto dirigem. A infração, prevista no Código de Trânsito, rende quatro pontos na CNH e multa de 85,13 reais.

Fonte: VEJA SÃO PAULO