Cidade

Mulher morre em Manaus por causa da onda dos Pokémons

Autônoma de 47 anos foi atingida por tiros disparados por dois militares que tiveram os celulares roubados enquanto jogavam

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Pokemon GO
Pokémon GO: duas tragédias em poucos dias (Foto: Reprodução)

A onda do Pokemon Go provocou uma tragédia no estado do Amazonas. Uma mulher morreu em Manaus na noite de sábado (6) em um acidente relacionado ao game. De acordo com a polícia, a autônoma Maria Raimunda Ferreira Pereira, de 47 anos, foi atingida por duas balas perdidas disparadas por dois militares.  Tudo começou quando dois assaltantes abordaram a dupla, que estava entretida jogando com seus respectivos celulares. Para tentar impedir a ação criminosa, atiraram na direção dos bandidos em fuga. 

+'Pokémon Go': histórias e curiosidades sobre o fenômeno do momento

Um policial militar de 34 anos e um militar das Forças Armadas de 22 anos são acusados de terem feito os disparos. Eles estão sob regime de liberdade provisória concedido desde sábado pelo Tribunal de Justiça do Amazonas. Um estudante que acompanhava a dupla também se encontra em mesma situação. 

+Publicitário tem celular roubado enquanto jogava Pokémon na Paulista

Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul, Arthur Bobsin Ferreira, de 9 anos, morreu afogado nesta segunda (8) na cidade de Imbé, no interior do estado. Ele estaria dentro de um barco jogando Pokémon Go quando se desequilibrou e caiu no rio Tramandaí. O amigo que o acompanhava sobreviveu. Segundo relatos de vizinhos dos garotos publicados no Facebook, os dois estavam a caça dos monstrinhos virtuais. O menino sobrevivente não confirmou a versão à Polícia Civil, que investiga o caso. 

imbe menino morre pokemon rio grande do sul
Barcos onde os meninos de nove anos brincavam em Imbé (RS) (Foto: Divulgação/Polícia Civil RS)

De acordo com o delegado Antônio Carlos Ractz Júnior, que coordena as investigações, o menino que morreu não tinha celular e no aparelho do amigo não foi encontrado o aplicativo do jogo. "O caso está em fase de perícia", afirmou ele à reportagem de VEJA SÃO PAULO. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO