Polícia

Motoristas reclamam de estepes roubados dentro de estacionamentos

Para não passar por problemas, o ideal é estacionar em estacionamentos de bandeira conhecida

Por: Filipe Vilicic - Atualizado em

Toda vez que estaciona o carro, o administrador de empresas e ator Sidney Rodrigues abre e tranca o porta-malas com a chave. Se utiliza um serviço de valet, faz questão de mostrar ao manobrista tudo o que leva na bagagem, incluindo o estepe. A paranóia é conseqüência dos três furtos de que foi vítima nos últimos meses. No primeiro, em outubro, ele acredita que o funcionário de um estacionamento da Vila Buarque tenha roubado o pneu sobressalente de seu Gol, além de compras que havia feito no supermercado. "Notei quando cheguei em casa", lembra Rodrigues. "Voltei ao local, mas o gerente não me deu atenção." O segundo caso ocorreu em março, próximo ao Teatro Escola Célia Helena. "Fui assistir a uma peça e deixei o veículo num estacionamento", conta. "Após pegar o carro, percebi que haviam levado o pneu reserva." Uma semana depois, arrombaram o porta-malas do mesmo Gol em uma rua de Moema. Rodrigues ainda nem havia comprado o novo estepe. Menos de um mês atrás, outro assalto. Só não levaram o pneu porque o administrador, escaldado, passou a prendê-lo com um cadeado.

Esse tipo de delito está cada vez mais comum. "De um ano para cá, muitos clientes vêm reclamando de furtos de estepe", afirma Tyago Carvalho, gerente da loja Caçula de Pneus da Rua Heitor Penteado, no Sumaré. "E vários só percebem a falta quando têm de trocar um pneu furado." Segundo Carvalho, em média dez clientes por mês procuram a loja após ser roubados. Cada conjunto novo de roda e pneu custa entre 300 reais (o de um Ford Ka, por exemplo) e mais de 5?000 reais (no caso de modelos importados como o utilitário esportivo Land Rover Discovery 3). "Para não cair nessa cilada, procure parar em estacionamentos de bandeira conhecida", aconselha Marcelo Sebastião, diretor da seguradora Porto Seguro. "Ao deixar e pegar o carro, verifique, ao lado do manobrista, se o estepe está lá."

Fique de olho

• Procure parar somente em estacionamentos de bandeira conhecida.

• Ao entregar a chave a um manobrista, verifique, ao lado dele, se o estepe está no carro. Quando for retirar o veículo, confira novamente.

• Se precisar estacionar na rua, prefira vias iluminadas e longe de terrenos baldios.

Fonte: VEJA SÃO PAULO