Transporte

Motoristas de ônibus preparam paralisação das 10h às 12h desta quarta

Condutores se mobilizam para lembrar colega que morreu após criminosos incendiarem coletivo em que trabalhava

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

greve ônibus
Motoristas farão greve na quarta (5) para protestar contra a violência nos coletivos (Foto: Mariana Oliveira)

A capital paulista deve enfrentar a paralisação do serviço de ônibus nesta quarta (5). De acordo com o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano (Sindmotoristas), a mobilização servirá para chamar a atenção pelo aumento da violência nos coletivos - há duas semanas, um condutor morreu na Zona Norte.

+ Confira outras notícias da cidade

Segundo a entidade, a paralisação, que estava prevista para ocorrer entre as 10h e as 14h, foi reduzida em duas horas e deve terminar por volta das 12h.

O movimento pode começar mais cedo nos terminais de ônibus, quando alguns coletivos deixariam de circular já às 9h30. No mesmo dia, está previsto um ato nas imediações do Terminal Parque Dom Pedro 2º, no centro.

Todos os terminais da capital devem aderir a paralisação. A assessoria de imprensa da São Paulo Transporte (SPTrans) disse que a empresa, que gerencia o sistema municipal de ônibus na cidade, não havia sido informada da paralisação até esta tarde. O Sindmotoristas congrega 36 000 profissionais que trabalham no sistema de transportes da capital paulista.

Morte

O motorista John Carlos Soares Brandão morreu na semana passada após ter o corpo queimado por bandidos enquanto trabalhava em uma linha da Viação Santa Brígida, no Jaraguá, na Zona Norte. O condutor chegou a permanecer alguns dias internado, mas não resistiu aos ferimentos.

Há alguns dias, o sindicato já havia promovido uma passeata pelo centro, cobrando justiça e mais proteção dos profissionais que trabalham no setor. A manifestação saiu da sede da entidade, na Liberdade, e passou pelas secretarias municipal dos Transportes e estadual da Segurança Pública.

Só na capital, 118 ônibus já foram incendiados neste ano. No ano passado, 53 coletivos foram queimados.

(Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO