Cidade

Motorista de acidente de Pinheiros fugiu com as duas filhas

Fontes ligadas à investigação dizem que corpo carbonizado é de Maurício Fittipaldi Morade, antes apontado como culpado pela colisão ocorrida na madrugada de segunda

Por: Juliana Deodoro - Atualizado em

Acidente Pinheiros
Poste caiu sobre o carro, que pegou fogo na madrugada desta segunda-feira (26) (Foto: Edison Temoteo/Futura Press/Folhapress)

A polícia procura Luiz Matheus Nunes Santos, apontado como o  motorista do carro de luxo que se chocou contra um poste na madrugada de segunda-feira (26), em Pinheiros. De acordo com fontes ligadas à investigação, ele fugiu com a mulher e as duas filhas após o acidente. 

Nunes Santos estava com o empresário Maurício Fittipaldi Morade, de 37 anos, no momento do acidente na Avenida Pedroso de Morais. Um dos passageiros do Volvo S60 morreu carbonizado. Inicialmente, a polícia informou, com base em relatos de testemunhas, que Morade era o condutor do veículo e que havia deixado o local após a colisão.

A investigação, no entanto, tomou novo rumo após a família do empresário afirmar que quem conduzia o veículo era Nunes Santos, amigo de infância de Morade. Ambos estavam juntos no domingo (25). Imagens de câmeras de segurança gravadas na noite do acidente mostram um homem com uma camisa cinza e estampa nas costas saindo do veículo e tentando socorrer a vítima. Os dois amigos se parecem fisicamente e, segundo fontes da investigação, estariam com roupas semelhantes.  

Para se pronunciar oficialmente sobre o caso, a polícia ainda aguarda um exame de DNA no corpo carbonizado, que confirmará sua identidade. O motorista deverá responder por homicídio doloso, quando há a intenção, e por ter fugido do local do acidente.

O caso

A batida ocorreu por volta das 2h30 da madrugada de segunda na Avenida Pedroso de Morais. De acordo com a Polícia Militar, o condutor perdeu o controle do veículo e bateu em um poste. Um transformador fixado na estrutura de concreto caiu sobre o veículo e explodiu, causando o incêndio.

+ Confira as últimas notícias

Na delegacia, o segurança Renato Lima reconheceu por foto o motorista, que supostamente estaria embriagado. “Ele saiu correndo quando os bombeiros chegaram.”

Outra testemunha, Reinaldo Vieira Pinto, declarou que o suspeito retornou para o local dez minutos após o acidente, fingindo ser apenas um curioso. Entretanto, ao ser reconhecido, deixou rapidamente o lugar.

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO