Bairros

25 motivos para amar o Paraíso

O bairro é bem localizado e mescla tranquilidade e boa oferta de atrações e estabelecimentos

Por: Carolina Giovanelli - Atualizado em

Catedral Metropolitana Ortodoxa
Catedral Metropolitana Ortodoxa: joia arquitetônica da região (Foto: Douglas Nascimento)

O nome do bairro já diz tudo. Fundado em 1897, o Paraíso oferece tranquilidade com ruas arborizadas e proximidade ao Parque do Ibirapuera. Mas também espere encontrar a agitação de restaurantes e atrações bacanas em seus arredores, que incluem parte da Avenida Paulista. Confira 25 motivos para amar o pedaço:

+ Quinze motivos para amar São Paulo

1. A região abriga diversos hospitais de ponta, como Hospital do Coração, Hospital Alemão Oswaldo Cruz e Beneficência Portuguesa. Com isso, vários hoteis também se instalaram nas imediações para atender a demanda principalmente dos que vêm de fora da cidade para se tratar aqui.

2. A imponente Catedral Metropolitana Ortodoxa chama a atenção na paisagem. Exemplo da arquitetura bizantina, começou a ser construída nos anos 40, traz interior revestido em mármore e foi inspirada na Basílica de Santa Sofia, em Instambul.

Frutos do mar ao molho picante, do Rong He
Frutos do mar ao molho picante, do Rong He: porção para dois (Foto: Divulgação)

3. Um dos melhores restaurantes chineses da cidade, o Rong-He instalou uma de suas três unidades no bairro. Além dos preços amigos, o grande chamariz dali é o macarrão, preparado manualmente pelos funcionários na forma de fios finos e longos. 

4. A estação do metrô que leva o nome do bairro atende as linhas 1-Azul e 2-Verde. Conta com diversas lojinhas e bicicletário, além de já ter recebido exposições e shows, a exemplo de uma apresentação da cantora americana Cat Power.

Bauru 	Ponto Chic
O legítimo bauru do Ponto Chic: queijos derretidos, rosbife, tomate e pepino em conserva (Foto: Sophia Braun)

5. Falando em transporte, o bairro é muito bem servido neste quesito. Além do metrô, há ciclovias, táxis e muitas linhas de ônibus que servem a região.

6. Em frente à Praça Oswaldo Cruz, há uma disputada filial da lanchonete Ponto Chic. Trata-se do inventora do legítimo bauru. A receita original leva apenas uma mistura de queijos prato, gouda, suíço e estepe derretidos, mais rosbife, tomate e pepino em conserva no pão francês sem miolo.

7. Você pode amá-lo ou odiá-lo, mas o prefeito Fernando Haddad mora por ali, na Rua Afonso de Freitas. Ou seja, o bairro é escolhido por personalidades para fixarem moradia. A escritora Zélia Gattai (1916-2008) também passou a infância e adolescência no distrito.

Alaska - Sorvete Gigante
O sorvete gigante da Alaska: 1,5 quilo do doce (Foto: Divulgação)

8. No Paraíso, fica uma das sorveterias mais antigas da cidade, a Alaska. Aberta em 1910, foi ponto de encontro para diversas gerações de paulistanos. Amplo e de decoração simples, o salão dá a sensação de que o negócio parou no tempo. As cubas metálicas guardam opções de massa firme e compacta. Arrisque-se nas sobremesas grandalhonas, clássicos do lugar.

9. Um pedacinho da Índia aparece no restaurante Tandoor. O negócio, fundado pelo casal Mansha e Lakhi Daswani, ambos nascidos em Mumbai, exibe decoração e culinária típica.

+ 25 motivos para amar Santa Cecília

10. Grafites caprichados enfeitam muros da área. Um dos principais desenhos é o de Oscar Niemeyer, pintado em 2013 pelo artista Eduardo Kobra, em um prédio da Praça Oswaldo Cruz.

Ciao! Vino & Birra
O salão do Ciao!: espaço para beber as cervejas (Foto: Divulgação)

11. Dá para acompanhar o movimento das ruas na agradável varandinha do bar Ciao! Vino & Birra. Trata-se de um pequeno e bom lugar à moda italiana para beber e petiscar. E o melhor: a água filtrada não custa nada e vem em saudosas garrafas de groselha.

12. Inaugurado em 1982 nos arredores do bairro, o Centro Cultural São Paulo está cheio de atrações gratuitas ou com preços camaradas, entre peças de teatro, shows, espetáculos de dança... Sua biblioteca, gibiteca e discoteca agradam ao público. Os corredores também costumam encher de gente treinando passos de dança ou jogando xadrez. Não deixe de visitar o jardim suspenso para tomar sol ou fazer um piquenique.

13. O bairro teve imigração predominante de sírios e libaneses, o que se reflete em suas opções gastronômicas. O Halim e o Jaber aparecem entre as alternativas com comidas típicas.

Comer e Beber 2013 - árabes - Tenda do Nilo
Tenda do Nilo: pratos libaneses com aroma e gosto marcantes (Foto: Mario Rodrigues)

14. Com o mesmo tipo de gastronomia, encontra-se no pedaço o Tenda do Nilo. O pequeno restaurante já ganhou como melhor árabe da capital no especial VEJA COMER & BEBER e também na categoria bom e barato. Hoje, os preços não são assim tão em conta, mas o cardápio ainda atrai muita gente para lá.

15. Fundado em 1989, o Shopping Pátio Paulista conta com boa oferta de lojas e restaurantes. O imóvel histórico antes abrigava a loja de departamento Sears. Prevê-se uma expansão, que deve dobrar o espaço do centro de compras, para breve.

+ 25 motivos para amar a Sé

16. Está quente lá fora e você quer tomar um açaí? O Posto do Açaí, na Rua Vergueiro, oferece o creme na tigela com opções de outras frutas como acompanhamento. Em banquinhos altos, dá para ver o movimento da rua e bater um papo com os amigos. 

17. Conhecido como "Pai Henrique do PC", o técnico em informática Henrique Tyszler possui escritório no Paraíso. Ele chega a se vestir a caráter às vezes. Em um folheto que se espalhou pela internet, ele promete exorcizar "PC formatado por sobrinho", trazer "Windows de volta em três dias" e retirar "vírus, malware e mau olhado" das máquinas.

Caffè Ristoro Casa das Rosas
Café na Casa das Rosas (Foto: Divulgação)

18. Projetado pelo escritório de Ramos de Azevedo, o casarão do número 37 da Avenida Paulista terminou de ser construído em 1935. Desde 1991, abriga o centro cultural Casa das Rosas. Dê uma passada por lá para ver sua bela arquitetura e o agradável jardim, além de tomar um café.

19. Próximo à Casa das Rosas, encontra-se o Itaú Cultural, nos arredores do bairro. Seu moderno prédio recebe peças de teatro, exposições e shows gratuitos.

20. Das ruas do Paraíso, é facinho chegar caminhando ao Parque Ibirapuera e aproveitar sua gigante área verde de mais de 158 hectares.

Ginásio do Ibirapuera
Ginásio do Ibirapuera (Foto: Gaspar Nobrega)

21. Ali perto, aparece o Ginásio do Ibirapuera, que já recebeu grandes partidas de vôlei e tênis, além de shows de personalidades como Roberto Carlos e André Rieu.

22. Na Rua Tutoia, o restaurante Sushi Kiyo configura território do experiente sushiman Kiyomi Watanabe, que diz ser precursor na arte de servir combinados na cidade. Os peixes chegam frescos à mesa e o espaço exibe decoração de inspiração oriental.

23. O bairro proporciona a visão de uma espécie de castelo medieval. Em uma das esquinas da Rua Apeninos, o Paradiso Bar e Cucina conta com um imóvel com torres cobertas por 52 toneladas de pedra e madeira. Os salões ostentam escudos e armaduras.

Sushi Kiyo
Combinado do Sushi Kiyo (Foto: Heudes Régis)

24. Nos últimos tempos, a Praça Oswaldo Cruz, antes ponto de adolescentes e skatistas, anda recebendo uma feirinha de food trucks. Na Benê Food des Arts, há comidinhas para diversos gostos, de hambúrgueres a waffles recheados.

25. O Paraíso mistura na medida agitação e tranquilidade. Andar por suas ruas arborizadas é um prazer. Mas há também diversos restaurantes e atrações bacanas na região. O nome do bairro já diz tudo. Em pesquisa do Conselho Regional de Corretores de Imóveis, o pedaço ganha classificação de "zona de valor B", como outras áreas nobres, a exemplo de Pinheiros, Cerqueira César e Jardim Paulistano.

Fonte: VEJA SÃO PAULO